Yellow Tail, a marca mais poderosa do Mundo (mais uma vez!)

Fonte: Comunicado oficial Importadora Cantu

A Wine Intelligence Global divulga anualmente um importante estudo sobre as marcas mais poderosas no mundo do vinho – em sua quarta edição, publicada nas últimas semanas, a australiana Yellow Tail recebeu o título de World’s Most Powerful Wine Brands, seguida da chilena Casillero del Diablo.

O ranking de 2021 considerou a opinião de mais de 25mil pessoas em 25 países diferentes com perguntas relacionadas a reconhecimento de marca, intenção de compra, consideração, afinidade e recomendação, agrupadas em três categorias: conhecimento, compra e conexão.

Além da Yellow Tail levar o primeiro lugar mais uma vez, a Wine Intelligence destaca também que as principais movimentações deste ano incluem a chilena Santa Carolina, que subiu três posições para ocupar um lugar entre os 10 primeiros no Índice Global pela primeira vez; A vinícola espanhola Torres, que saltou cinco lugares para a 10ª posição e o espanhol Campo Viejo, que entrou no top 15 pela primeira vez.

A CEO da Wine Intelligence, Lulie Halstead, comenta que, devido ao período marcado pela ruptura e lockdown, foi um ano bastante desafiador para as marcas de vinho:

“À medida que sairmos do lockdown para – esperamos – um ambiente mais estável de compra e consumo, o principal desafio para as marcas de vinho será restaurar as conexões pessoais, fundamentais para impulsionar suas marcas a um sucesso tão amplo no cenário mundial.”

Você confere o artigo completo da Wine Intelligence aqui e abaixo o ranking com todas as marcas que se destacaram na premiação:

Yellow Tail, um case de sucesso mundial

Campanha de divulgação Yellow Tail, alinhada ao consumidor mais jovem

Alguém já imaginou uma marca australiana relativamente nova conquistar o disputado mercado de vinhos americano e se tornar tão grande a ponto de atender também Japão e Reino Unido? Pois bem, esta é a história de sucesso da Yellow Tail!

A marca foi fundada pela família Casella da Sicília, que emigrou para New South Wales, Austrália, em 1957. Yellow Tail foi lançado somente em 2001, com um posicionamento bastante inovador para o segmento. A marca optou por não competir diretamente com os vinhos da Itália e da França, muito mais consolidados em relação a qualidade, complexidade e prestígio no imaginário do consumidor. Em vez disso, apresentaram uma marca divertida, casual e acessível direcionada a outro perfil de público, acertando em cheio o consumidor americano.

O sucesso deve-se principalmente ao estilo do vinho, com taninos e acidez pouco perceptíveis, adequados a um paladar menos acostumado ao perfil tradicional da bebida. O rótulo com informações fáceis de entender, direcionados à uva e com poucos jargões do vinho, aliados a cores vibrantes e a um mascote simpático e divertido foram fatores decisivos para que a marca se destacasse nas prateleiras e ganhasse o coração dos consumidores jovens e ávidos por novidades.

Onde comprar?

  • Yellow Tail Shiraz (Viva Vinho, de R$ 89,90 por R$ 66,90) – Destaque da vinícola, é elaborado com a uva Shiraz, uma das mais importantes da Austrália. Destaca-se pelos aromas de frutas vermelhas e negras maduras com um toque de caramelo, desenvolvido pela breve passagem por carvalho francês e americano . Taninos bem macios no paladar, fácil de beber.

  • Yellow Tail Cabernet Sauvignon (Pão de Açúcar, R$ 69,99) – Elaborado com Cabernet Sauvignon, tem aromas de frutas maduras e notas de especiarias, graças aos 4 meses em barricas de carvalho francês e americano. Paladar com boa concentração, taninos macios e agradáveis.
  • Yellow Tail Chardonnay (Vinho BR, R$ 69,90) – Feito com a uva Chardonnay, muito presente na Austrália, destaca-se pelos aromas de frutas tropicais, com toque cítrico. Fácil de beber, tem corpo médio com acidez presente e um toque final cítrico de abacaxi.
  • Yellow Tail Moscato (Vinho BR, R$ 69,90) – Branco elaborado com a uva Moscatel, tem aromas de frutas tropicais com um agradável toque cítrico. Paladar de médio corpo com acidez bem integrada, vai bem com pratos leves e aperitivos.
  • Yellow Tail Pink Moscato Rosé (Viva Vinho, R$ 74,90) – Elaborado com a uva Moscatel, tem baixa graduação alcoólica, aromas adocicados que remetem a rosas e paladar refrescante, leve e equilibrado.
Mulled White Wine

Confira também as opções de drinks sugeridos com os rótulos Yellow Tail.

Receitas clicando no site da vinícola aqui.

Chegou a hora de celebrar a Malbec!

#MalbecWorldDay, uma celebração global

O Malbec World Day é uma iniciativa global criada pela Wines of Argentina com objetivo de posicionar o Malbec argentino no mundo e celebrar o sucesso da indústria vitivinícola nacional. Esta celebração conta com o apoio de diversos setores governamentais na Argentina e teve boa adesão mundo afora.

Há aproximadamente 20 anos o Malbec argentino surgiu no radar mundial e passou a ser um dos vinhos preferidos dos winelovers. E com uma particularidade: o Malbec cativou primeiro os consumidores ocasionais, aqueles que ainda não tinham encontrado um vinho que os apaixonasse, já que o estilo fácil, amigável da Malbec não exigia experiência para apreciar seus sabores fáceis de entender. Os consumidores apenas sabiam que o Malbec lhes agradava, e ponto.

E assim, o Malbec argentino seduziu paladares em todas as partes do mundo – atualmente é considerado um dos tintos mais  cosmopolitas, ocupando o mesmo pódio que o Cabernet Sauvignon ou o Merlot, tendo a Argentina como o seu principal produtor.

Malbec Wine Day

Celebrado pela primeira vez em 17 de abril de 2011, o Malbec Wine Day conseguiu se posicionar como um acontecimento histórico na promoção do vinho no mundo e hoje forma parte do calendário de festejos de alcance internacional. Ano após ano realiza-se desde a Wines of Argentina uma profusa agenda de atividades nos principais mercados, que se somam aos eventos organizados pelas representações argentinas no exterior e iniciativas independentes que posicionam o Malbec no centro de um brinde mundial.

Por que o Dia Mundial do Malbec se celebra em 17 de abril?

Encontramos a origem do Malbec no sudoeste da França. Ali, esta cepa era cultivada e com ela se elaboravam vinhos denominados “de Cahors”, devido ao nome da região, reconhecidos desde os tempos do Império Romano. Estes vinhos foram consolidados na Idade Média e acabaram de se fortalecer na modernidade.

O dia 17 de abril de 1853 marca a fundação da primeira Quinta Agronômica da Argentina, com a intenção de adaptar variedades francesas aos solos de Mendoza. A data é o símbolo da transformação da vitivinicultura argentina e o ponto de partida para o desenvolvimento do Malbec, emblema do país para o mundo.

Todo ano eles preparam um site com bastante informação sobre a data, vale conferir. Neste ano é possível testar seus conhecimentos sobre a Malbec em um quiz super interativo, com informações ricas e bastante visuais. Vale conferir aqui, em Malbec Wine Day:

Opções de Malbec para conhecer e degustar:

A Evino traz boas opções de Malbec com valores bem acessíveis. Gosto destes três abaixo, em estilos dos mais variados:

  • El Molino Malbec 2020 (Evino, de R$57,90 por R$34,80): El Molino tem todas as características que se espera do Malbec Argentino: muita fruta, taninos arredondados e aromas persistentes. Aromas de frutas maduras como ameixa e cereja. Paladar macio, taninos redondos e final longo, com boa persistência. Acompanha bem churrasco e lasanha à bolonhesa, por exemplo.
  • Ecusson des Roches Malbec Cahors D.O. 2016 (Evino, de R$99,90 por R$64,90): De acordo com a Jéssica Marinzeck, sommelière da Evino, o Ecusson des Roches é um vinho marcante, potente e encorpado. Aromas de Frutas vermelhas e pretas maduras, com toque de pimenta. Paladar denso, generoso, com taninos bem integrados e acidez notável, uma opção legal para conhecer o estilo de Cahors. Vai bem com risoto de cogumelos, picanha na brasa e embutidos em geral
  • Punta Negra Wines of Belhara Malbec 2019(Evino, de R$62,90 por R$44,90): Mais uma opção legal da Evino – tradição é o nome e sobrenome de Punta Negra. Elaborado nos solos do Valle de Uco, em Mendoza, é um Malbec como tem que ser: potente e com taninos mais marcados, mas muito equilibrados. Na hora de harmonizar, o clássico é a pedida certa: carnes vermelhas na brasa. 10 meses em tanques de cimento e barricas de carvalho. Vale destacar que ganhou 91 pontos no importante Guia Descorchados de 2021
  • San Telmo Malbec (Vivavinho, de R$ 59,90 por R$ 45,90): Vinho que é a cara da Argentina, a começar pelo rótulo super temático. No nariz tem os aromas clássicos de ameixas maduras e frutas vermelhas, violeta e baunilha. Na boca é sedoso, bem estruturado, com taninos maduros e delicioso frescor. Passa 9 meses em barricas de carvalho francês de 2ª e 3ª usos, que confere mais elegância ao vinho.
  • Trivento Reserve White Malbec (Lara Wines, R$ 55,90): Este Malbec chama muita atenção por ser a versão vinificada em branco desta uva que é tão coinhecida pelos tintos potentes e intensos. Uma invenção curiosa, que vale conhecer. Destaque para o nariz que traz leve aroma de frutas vermelhas (em especial morango) e floral. Em boca, se mantém leve, com boa fruta e acidez super refrescante. Este video aqui é bem curtinho e explica bem o estilo e como ele é feito!
  • Vinecol Orgânico Red Puro Malbec (Lara Wines, de R$ 69,90 por R$ 48,90): Apresenta todas as características que se espera de um bom Malbec: aromas de frutas vermelhas, pimenta negra, chocolate e café. Bem balanceado com taninos integrados pela passagem de 08 meses em barricas de carvalho. Mas o destaque mesmo fica pela certificação Orgânico Brasil, que atesta o comprometimento com todas as etapas para alcançar a classificação de vinho orgânico. Vale conhecer
  • Anubis Malbec (Pão de Açúcar, de 89,99 R$ por R$ 59,99). Super preço para um vinho feito pela Susana Balbo, uma das grandes enólogas da Argentina e considerada uma das mulher mais influente do mundo dos vinhos. Seu nome Anubis é uma homenagem ao Deus Egípcio das Bebidas e Gastronomia. Um belo exemplar de Malbec puro, com os aromas de frutas vermelhas e notas doces proivenientes da breve passagem por carvalho.
  • Escorihuela Familia Gascon Malbec Rosé 2020 (Grand Cru, de R$ 105,90 por R$ 84,72) Delicado do início ao fim, este rosé de Malbec destaca-se pelos aromas de frutas vermelhas frescas e flores brancas. Paladar com ótima estrutura e frescor, final longo e persistente para um rosé.
  • Circus Malbec 2020 (Grand Cru, de R$ 78,90 por R$ 63,12): Os vinhos da linha Circus procuram expressar da maneira mais pura o terroir mendocino de onde vieram, sem deixar de lado todas as características que fazem deles típicos exemplares do novo mundo. Um vinho marcante e agradável, sendo uma boa opção para um jantar sem compromisso!
  • Ruca Malen Aimé Malbec 2018 (La Pastina, de R$ 61,00 por R$ 54,90): Fundada em 1998 por Jean Pierre Thibaud e Jacques Louis de Montalembert, empreendedores experientes no mundo do vinho, Ruca Malen foi logo reconhecida por dois elementos básicos: a qualidade de seus vinhos e seu espírito pioneiro. Busca também mostrar a elegância do terroir argentino de uma forma ampla e distinta. Aimé é uma linha jovem que revela na taça sabores macios e muito perfume. Ótimo exemplar de Malbec jovem e frutado.

Os achados do Club des Sommeliers

Um dos posts mais acessados aqui no blog é este aqui, a respeito do Club des Sommeliers. Também, pudera: a linha de vinhos exclusiva do Pão de Açúcar é um sucesso absoluto desde seu lançamento. Percebi que o post foi escrito – pasmem – em 2013 e acredito que mereça uma atualização.

É preciso deixar o preconceito de lado para conhecer a linha Club des Sommeliers. A marca, exclusiva do Grupo Pão de Açúcar, conta com mais de 90 rótulos de 11 países diferentes –  a seleção, proveniente das melhores regiões vinícolas do mundo, é feita por um time de especialistas em vinho, liderado por Carlos Cabral, um dos mais importantes enófilo do Brasil. Lançada em 2000, tem como objetivo oferecer a preços acessíveis vinhos bem conhecidos dos principais países produtores, como França, Itália, Portugal, Chile e Argentina. São vinhos para serem degustados no dia a dia e também em ocasiões mais especiais, celebrando os melhores momentos da vida. 

Tamanha diversidade permite aos iniciantes conhecer e degustar vinhos do mundo inteiro com ótimo custo-benefício, resultado da equação de bons produtores e melhores negociações comerciais. Mesmo aqueles que já estão habituados a tomar vinho podem se surpreender com boas opções para o dia-a-dia.

Os rótulos da marca são fáceis e ajudam os consumidores a entender as informações rapidamente, que é a principal dificuldade para aqueles que precisam escolher entre tantas opções nas gondolas. Cada vinho traz uma imagem-ícone de seu país e informações sobre a uva utilizada na sua elaboração, além de dicas de harmonização e da taça mais adequada para o serviço. Uma informação importante está no contra-rótulo, que traz o nome do produtor daquele vinho. É comum encontrar produtores bem conhecidos responsáveis por alguns dos vinhos do Club des Sommeliers, o que só agrega valor a marca. Recentemente os rótulos passaram por uma reformulação e estão super modernos, acompanhando as principais tendências mundo afora.

Todas as iniciativas rumo à popularização da cultura do vinho no Brasil são válidas e merecem destaque. Da próxima vez que for a uma das lojas do Extra ou Pão de Açúcar, leve uma garrafa para degustar! Precisa de ajuda? Confira o que considero os principais destaques da linha:

Espumantes e frisantes:

  • CLUB DES SOMMELIERS Frisante tinto – Brasil, Serra Gaucha (Adega Pão de Açúcar, de R$ 32,99 por R$ 23,09):  Ideal para quem gosta deste estilo de espumante, com menos borbulhas, pouca graduação alcoólica e certa doçura no paladar. Elaborado no Brasil pela vinícola Aurora, tem aromas frutados, bem refrescante e suave em boca. Consumir bem gelado, como apertivo ou petiscos diversos.
  • CLUB DES SOMMELIERS 20 Anos Cabral – Brasil, Serra Gaucha (Adega Pão de Açúcar, de R$ 66,99 por R$ 53,59): O Brasil tem enorme vocação para elaboração de espumantes, isto já não é novidade. Este espumante é uma edição especial e apresenta bem o potencial do país para borbulhas com mais corpo e estrutura. Feito com Pinot Noir, tem boa perlagem e destaca-se pelos aromas frescos com toque de ervas aromáticas. Paladar com excelente estrutura, boa cremosidade, mostrando-se bastante equilibrado e refrescante. Ideal para momentos além do brindem acompanhando com maestria pratos diversos como Paella, espaguete alla marinara, yakissoba, sashimi, frango ao curry e filé de salmão.
  • CLUB DES SOMMELIERS Moscatel – Brasil, Serra Gaucha (Adega Pão de Açúcar, de R$ 32,49 por R$ 25,99): Prata da casa, este aqui é figurinha carimbada em diversas sugestões do blog. Feito pela Salton, na Serra Gaucha, apresenta aromas de frutas cítricas, pêssego e algo de damasco e notas florais. Bem delicado em boca, tem doçura e acidez na medida certa. Ótimo exemplar da uva Moscato. Vai bem como aperitivo ou acompanhando tortas, saladas de fruta e sorvetes
  • CLUB DES SOMMELIERS Vibrant Brut – Brasil, Rio Grande do Sul (Adega Pão de Açúcar, de R$ 44,99 por R$ 35,99). Espumante brut feito pela Salton com as uvas Chardonnay, Prosecco e Trebbiano, tem aromas de frutas cítricas, maçã verde e notas tostadas. Fresco e agradável no paladar, vai bem com canapés, queijos suaves, peixes e frutos do mar diversos.
  • CLUB DES SOMMELIERS Vibrant Demi Sec – Brasil, Rio Grande do Sul (Adega Pão de Açúcar, de R$ 44,99 por R$ 35,99). Espumante Demi Sec feito pela Salton com as uvas Chardonnay, Prosecco e Trebbiano, tem aromas de frutas cítricas, damasco, maçã verde e notas tostadas. Fresco e agradável no paladar, tem um toque mais adocicado do que a versão Brut descrito acima.

Brancos:

  • CLUB DES SOMMELIERS Riesling Reserva – Chile, Valle de Maule (Adega Pão de Açúcar, de R$ 69,99 por R$ 48,99): Elaborado pela Viña Carta Vieja, uma das grandes vinícolas do Chile, é um bom achado desta uva que é uma das preferidas dos sommeliers. Ótima oportunidade para conhecer este exemplar de uva branca, que destaca-se pelos aromas complexos de flores de frutas como lima, maçã verde e lichia. Apresenta acidez equilibrada, frescor e persistência no paladar. Indicado para servir com frutos do mar, aves e queijos delicados.
  • CLUB DES SOMMELIERS Vinho Verde – Portugal, Vinho Verde (Adega Pão de Açúcar, de R$ 59,99 por R$ 41,99): Leve e delicado como é de se esperar deste estilo, tem aromas frutados, com destaque para os cítricos e frutas de polpa branca, como pêra e pêssego. Paladar frutado, fresco, harmonioso e ligeiramente frisante. Ideal para aperitivo, pratos leves a base de peixe e queijos frescos.
  • CLUB DES SOMMELIERS Xarello – Espanha, Penedés (Adega Pão de Açúcar, de R$ 79,99 por R$ 55,99). Difícil encontrar um branco elaborado com a uva Xarello, mais conhecida na composição dos Cavas, traduicionais espumantes espanhóis. Uma grata surpresa este branco, que se destaca pelos aromas cítricos e paladar fresco, com acidez na medida certa. Vai bem com uma infinidade de pratos, como arroz de pescado, crustáceos, saladas de arroz, mariscos, moluscos, massas com molho de tomate, pescado branco, pescados com molho e pizzas.

Tintos:

  • CLUB DES SOMMELIERS NEGROAMARO Puglia IGT – Itália, Puglia (Adega Pão de Açúcar, de R$ 59,99 por R$ 41,99): Elaborado na ensolarada região da Puglia, é feito com a ainda pouco conhecida uva Negroamaro, com aromas distintos que lembram especiarias e alcatrão. Bem versátil para harmonização, acompanha bem pizzas, massas diversas e carnes em geral.
  • CLUB DES SOMMELIERS Cabernet Sauvignon Reserva – Chile, Valle de Maule (Adega Pão de Açúcar, de R$ 69,99 por R$ 48,99): Clássico Cabernet Sauvignon do Chile, tem aromas frutados maduros com notas de baunilha, tabaco e café. Paladar equilibrado, com taninos e acidez bem balanceados. Excelente para acompanhar assados de carne vermelha, cozidos em geral e massas com molhos vermelho e funghi.
  • CLUB DES SOMMELIERS Cabernet Sauvignon – Chile, Valle de Maule (Adega Pão de Açúcar, de R$ 44,99 por R$ 31,49): Versão mais simples e frutada do anterior, destaca-se pelos aromas de frutas vermelhas frescas e nota de especiarias doces, típicos da casta. Boa opção para dia-a-dia e para acompanhar pratos simples do cotidiano.
  • CLUB DES SOMMELIERS Malbec Reserva – Chile, Valle de Maule (Adega Pão de Açúcar, de R$ 69,99 por R$ 48,99). Feito no chile com a uva Malbec, segue o estilo dos similares argentinos. Aromas frutados com destaque para cerejas maduras, com notas de especiarias doces. Encorpado no paladar, tem boa estrutura, taninos macios e algo de tostado no final. Vai bem com massas com molho condimentado, churrasco, carnes grelhadas e assadas.
  • CLUB DES SOMMELIERS Regional Tejo – Portugal, Lisboa (Adega Pão de Açúcar, de R$ 59,99 por R$ 41,99): Gosto de ver a evolução dos vinhos portugueses nas gôndolas dos supermercados. Feito com uvas típicas da região, tem aromas predominantes de frutas vermelhas, um toque de especiarias e grãos torrados. Frutado, macio, bem estruturado e harmonioso no paladar. 
  • CLUB DES SOMMELIERS Regional Alentejano – Portugal, Alentejo (Adega Pão de Açúcar, de R$ 69,99 por R$ 48,99): Típico tinto alentejano, destaca-se pelos aromas de frutas vermelhas e notas tostadas. Paladar macio e equilibrado, tem ótima acidez. Acompanha bem pratos mediterrâneos à base de azeite e vegetais, culinária indiana, chinesa e queijos macios.
  • CLUB DES SOMMELIERS Roble Malbec – Argentina, Mendoza (Adega Pão de Açúcar, de R$ 69,99 por R$ 48,99). Elaborado com a uva típica da Argentina pela gigante Peñaflor, agrada quem gosta de vinhos com passagem por barricas. Destaca-se pelos aromas doces de frutas maduras como amora e ameixa e notas de baunilha, provenientes do carvalho. Ideal com pratos étnicos, carne grelhada, massas com molhos condimentados e cozidos com toques picantes.
  • CLUB DES SOMMELIERS Suave Cabernet Franc – Brasil, Serra Gaucha (Adega Pão de Açúcar, de R$ 27,99 por R$ 16,79). Opção para quem está se aventurando do vinho de mesa para os classificados como “vinho fino”, feitos com outras variedades de uvas. Este aqui é feito pela Vinícola Aurora com a uva Cabernet Franc, tem baixa graduação alcoólica e açúcar residual, que deixa o vinho com certa doçura no paladar, mas sem ser enjoativo. Agrada quem gosta de vinhos leves, sem aquela sensação adstringente dos taninos típicos dos tintos.
  • CLUB DES SOMMELIERS Selection Pinot Noir – Argentina, Vale do Uco (Adega Pão de Açúcar, de R$ 99,99 por R$ 69,99). Difícil encontrar Pinot Noir bem feito a preços convidativos – uva delicada, é necessário certa experiência no manejo e locais mais frios para crescer com as características que se espera desta uva. Este aqui surpreende pelos aromas doces de frutas maduras, como amora e ameixa, e notas de baunilha. Na boca é agradável, com boa acidez e algo de frutas vermelhas no final de boca. Vai bem com pratos mais leves, como um roastbeef fresquinho, por exemplo.

Sobremesas:

  • Porto CLUB DES SOMMELIERS Tawny  – Portugal, Douro (Adega Pão de Açúcar, de R$ 89,99 por R$ 62,99): Elaborado em Portugal pela Casa Manoel D. Poças Junior, é feito com um blend de uvas tintas e segue o método de elaboração típico dos vinhos do Porto Tawny. Ideal como vinho de sobremesa ou, se servido ligeiramente fresco, como aperitivo. Acompanha na perfeição queijos, pastelaria variada, frutos secos ou doces. 

Garrafas magnuns:

  • CLUB DES SOMMELIERS Sauvignon Blanc 1500ml  – Chile, Valle Central (Adega Pão de Açúcar, de R$ 59,99 por R$ 41,99): Ótima opção para fazer bonito em um grupo maior de convidados. Sauvignon Blanc típico do Chile, com aromas cítricos, fresco e leve no paladar. Vai bem como aperitivo, entradas leves e frescas e pratos à base de peixes e molhos delicados.
  • CLUB DES SOMMELIERS Carménère 1500ml – Chile, Valle Central (Adega Pão de Açúcar, de R$ 74,99 por R$ 52,49). Garrafa bonita e chamativa, tem o equivalente a duas garrafas de vinho e impressiona os convidados. Carménère chileno bem elaborado, tem aromas de frutas vermelhas frescas, paladar macio e redondo.

La Liga de Enólogos

Resultado de imagem para la liga de enólogos

Novidade da Argentina, La Liga de Enólogos busca se aproximar dos Millennials

Descobri por acaso esta linha de vinhos trazidos pela Wine e fiquei surpresa com o conceito do projeto e com a qualidade de seus rótulos.

La Liga de Enólogos surge com a proposta de apresentar seus vinhos  para um consumidor mais novo, principalmente os millennials. Este público, em sua maioria jovens de até 30 anos, mudaram a forma de consumir música, trabalhar ou assistir a um filme e não se identificam com o universo do vinho. Pelo contrário. Na Argentina, este público migrou para a cerveja e atrai-los para o vinho é um dos desafios do mercado na atualidade.

Para se ter uma ideia, em 2001 o argentino consumia exatamente a mesma quantidade de vinho e cerveja: cerca de 1.250 milhões de litros cada. Este consumo foi se transformando no decorrer dos anos e em 2017 o cenário era completamente diferente: as vendas de vinhos ficaram em torno de 900 milhões de litros enquanto a cerveja saltou para 2.000 milhões. Assim, enquanto o consumo de vinho está hoje na ordem de 20 litros per capita, a cerveja é quase o dobro deste nível. (fonte: Observatório Vitivinícola Argentino)

E quem melhor do que jovens enólogos para identificar as preferências deste público? Neste contexto nasce a Liga de Enólogos, sete amigos e profissionais que se reuniram para elaborar vinhos bem feitos, despretensiosos e fáceis de beber, com rótulos modernos e divertidos. A primeira linha desenvolvida, El Bautismo, é composta por 4 rótulos inspirados na identidade de suas origens, ou seja, feitos com uvas autóctones da Itália, Espanha e Argentina.

la-liga.png
Integrantes de La Liga de Enólogos, grupo de amigos que se uniram para elaborar vinhos divertidos e descomplicados.

A Wine acertou mais uma vez em apostar neste perfil de vinhos e por um preço que condiz com a proposta original da linha. Confira abaixo o estilo de cada um deles e escolha o seu – eu arriscaria na linha toda! 😉

 

El Bautismo Blend de Blancas Dulces

  • BB4 El Bautismo Blend de Blancas Dulces 2017 (Wine.com, de R$ 38,90 por R$ 33,07) Branco delicado feito com Torrontés (70%), Moscatel (15%) e Pedro Giménez (15%), um original corte de uvas brancas de origem espanhola para honrar os antepassados que elegeram terras argentinas como seu lugar. Muito aromático, com destaque para lichia, jasmim e frutas brancas. Na boca é leve, com doçura equilibrada com acidez. Opção para quem gosta de vinho doce, mas não tão doce assim. Para beber geladinho – sozinho, acompanhando doces leves ou canapés adocicados.

 

El Bautismo El Criollo Rosado

  • El Bautismo El Criollo Rosado 2017 (Wine.com, de R$ 38,90 por R$ 33,07) Rosé bem diferente feito com a Criolla, uma uva nativa da Argentina e que foi a base dos vinhos de antigamente. Classificado como meio-seco (ou demi-sec), também é uma opção para os adeptos de vinhos com mais doçura, mas sem ser enjoativo. Bem feito, destaca-se pela cor clarinha e pelos aromas florais e de frutas vermelhas. Leve, frutado, com agradável acidez. Recomendado com diversas opções de pratos, como camarão empanado, talharim com molho rosé, risoto caprese, salmão grelhado, espetinho de legumes ou salada primavera, por exemplo.

 

El Bautismo Malbec

  • M4 El Bautismo Malbec 2017 (Wine.com, de R$ 38,90 por R$ 26,45) Elaborado com Malbec, uma reinterpretação da uva que é orgulho nacional e símbolo do país. Aromas típicos da variedade, com notas de frutas pretas e vermelhas. Na boca é elegante, com taninos macios e persistentes. Vai bem com costelinha suína com molho barbecue, pizza com cogumelos, penne à bolonhesa, fraldinha cozida, entre outros. Muito versátil à mesa.

 

El Bautismo Blend de Tintas

  • BT4 El Bautismo Blend de Tintas 2017 (Wine.com. de R$ 38,90 por R$ 26,45) Tinto inusitado feito com as uvas Raboso Veronés, Freisa, Sangiovette, Nebbiolo e Lambrusco, variedades de origem italiana escolhidas para homenagear seus antepassados. Vinho frutado, com taninos macios e um sabor que permanece no paladar. Baixa graduação alcoólica, fácil de beber. Vai bem com hambúrguer, estrogonofe de carne, bife com batata frita, ou seja, pratos gostosos do dia-a-dia.

 

Untitled-24-2

Vinho do dia | Anakena Carmenére

Foto
  • Anakena Carmenére, Chile (Winebrands, R$ 51,00)

No final dos anos 1990, Felipe Ibáñez e Jorge Gutiérrez, amigos de infância, fundaram a Viña Anakena, com o objetivo de elaborar vinhos de terroir, de alta qualidade, inovadores, que refletissem o grande potencial do Chile como produtor mundial e um dos principais países do Novo Mundo. Elegeram a região do Alto Cachapoal, aos pés dos Andes, para começar sua produção, em 1999. Hoje possuem vinhedos em diferentes zonas de produção no Chile e exportam para mais de 50 países, sendo o Brasil um dos dez mais importantes mercados.

A vínicola é um projeto de um grande arquiteto chileno, com tecnologia de ponta pensada para causar menos dano possivel à natureza. Anakena também conduz seu trabalho sob conceitos de sustentabilidade, muito valorizados pelos consumidores hoje em dia.

Eu conheço bem os vinhos do produtor e recomendo sem medo o Anakena Varietal Carmenére. Fresco, frutado e fácil de beber, tem aromas de frutas vermelhas e notas herbáceas mais delicadas. Bem agradável também no paladar, com menos corpo e taninos macios. Super versátil à mesa, combina com diversos aperitivos, pizzas mais suaves e queijos variados.

Sangrias refrescantes para a primavera

A famosa sangria, tão tradicional na Espanha, é a bebida ideal para acompanhar tardes agradáveis entre amigos. Feita geralmente com vinho tinto leve e fresco, frutas da época e um pouco de água com gás ou espumante, é fácil de fazer, fácil de beber e é perfeita para receber a estação mais colorida do ano. Além disso, para muitos consumidores serve como porta de entrada para o mundo do vinho, já que são atraídos pelos sabores frutados desta tradicional e deliciosa bebida. Selecionei aqui algumas receitas bem legais entre modernas e clássicas encontradas no site Wine Folly, sempre tão citado por aqui e que merece uma visita! 😉

white-peach-sangria

Sangria com pêssegos e cava

  • 750 ml de Cava ou Prosecco (de preferência vinho com boa acidez ou aromático, como Torrontés, Chenin Blanc, Riesling ou Pinot Grigio)
  • ¼ xícara de Brandy ou Triple Sec
  • 2 a 3 colheres de sopa de açúcar
  • 3 a 4 pêssegos
  • Suco de 1 limão
  • Gelo a gosto

Observação: Esta receita é super simples e DELICIOSA! Adicione o brandy e o suco de limão no fundo do jarro. Corte os pêssegos em cubos e adicione gelo. Cubra com Cava ou Prosecco e sirva imediatamente. Conforme descansa, o pêssego vai macerando na jarra e incorporando na bebida.

Sangria com vinho tinto e Grapefruit

  • 750 ml de vinho tinto (vinho frutado de médio corpo como Garnacha, Merlot ou Tempranillo)
  • 1 xícara de suco de grapefruit (toranja)
  • Suco de 2 limões
  • ¼ xícara de açúcar

Sangria com vinho branco

  • 750 ml de vinho branco (de preferência vinho com boa acidez ou aromático, como Torrontés, Chenin Blanc, Riesling ou Pinot Grigio)
  • 1/4 ou 1/2 xícara de açúcar
  • Suco de 1 limão
  • Frutas diversas para decoração (pêssegos, maçãs, cerejas, morangos ou frutas cítricas)

Observação: Você pode utilizar quase todo tipo de fruta para decorar uma sangria de vinho branco. Enquanto algumas receitas sugerem a adição de rum, brandy, vodka ou limoncello, eles optaram por adicionar cava, o que agrega mais acidez e frescor. Use apenas 1/4 de xúcara de açúcar caso prefira bebidas menos doces.

Sangria clássica

  • 750 ml de vinho tinto (vinho frutado de médio corpo como Garnacha, Merlot ou Tempranillo)
  • 1 xícara de soda, água com gás ou espumante para finalizar
  • ¼ a ½ xícara de açúcar
  • Suco de 1 laranja ou 1 limão ou 2 limas
  • Rodelas de limão para decorar

Observação: Na preaça central de Haro, na Espanha (Rioja), você pode encontrar Sangria feita de com um vinho tinto local simples (um blend de Tempranillo e Garnacha), açúcar granulado, água com gás e algumas fatias de frutas cítricas (laranjas, limões ou limas). As sangrias são feitas na hora e servidas em jarros com gelo e uma colher para mexer o líquido e as frutas. Este estilo é bem cítrico e refrescante, e o sabor do vinho fica em evidência. Use apenas 1/4 de xícara de açúcar caso prefira bebidas menos doces.

 

As boas compras da Wine Enthusiast

A Wine Enthusiast, tradicional publicação americana de vinhos, divulgou nas últimas semanas sua tão esperada Top 100 Best Buys of 2012. A lista considera os melhores vinhos disponíveis no mercado americano de até US$ 15,00, valor bem interessante se convertermos para a nossa realidade.

Segundo os editores, este ranking é um dos mais diversificados e excitantes entre os já publicados, reforçando a incrível variedade de vinhos acessíveis e de alta qualidade disponíveis no mercado. Confira a relação completa aqui ou se preferir, vá direto nas boas opções disponíveis no Brasil:

BRANCOS:

  • Rapariga da Quinta Branco, Portugal (Wine Commerce, R$ 34,00)
  • Tons de Duorum Branco, Portugal (Menu Especial, R$ 35,90)
  • Rosemount Diamond Label Chardonnay, Austrália (Imp. Vinci, R$ 49,96)
  • Falcoaria Branco, Portugal (Imp. Grand Cru, R$ 59,00)
  • Peñalolen Sauvignon Blanc, Chile (Rei dos Whiskys, R$ 65,09)
  • Nimbus Single Vineyard Sauvignon Blanc, Chile (Vinhocracia, R$ 67,90)

TINTOS:

ESPUMANTE E ROSÉ: