Yellow Tail, a marca mais poderosa do Mundo (mais uma vez!)

A Wine Intelligence Global divulga anualmente um importante estudo sobre as marcas mais poderosas no mundo do vinho – em sua quarta edição, publicada nas últimas semanas, a australiana Yellow Tail recebeu o título de World’s Most Powerful Wine Brands, seguida da chilena Casillero del Diablo.

O ranking de 2021 considerou a opinião de mais de 25mil pessoas em 25 países diferentes com perguntas relacionadas a reconhecimento de marca, intenção de compra, consideração, afinidade e recomendação, agrupadas em três categorias: conhecimento, compra e conexão.

Além da Yellow Tail levar o primeiro lugar mais uma vez, a Wine Intelligence destaca também que as principais movimentações deste ano incluem a chilena Santa Carolina, que subiu três posições para ocupar um lugar entre os 10 primeiros no Índice Global pela primeira vez; A vinícola espanhola Torres, que saltou cinco lugares para a 10ª posição e o espanhol Campo Viejo, que entrou no top 15 pela primeira vez.

A CEO da Wine Intelligence, Lulie Halstead, comenta que, devido ao período marcado pela ruptura e lockdown, foi um ano bastante desafiador para as marcas de vinho:

“À medida que sairmos do lockdown para – esperamos – um ambiente mais estável de compra e consumo, o principal desafio para as marcas de vinho será restaurar as conexões pessoais, fundamentais para impulsionar suas marcas a um sucesso tão amplo no cenário mundial.”

Você confere o artigo completo da Wine Intelligence aqui e abaixo o ranking com todas as marcas que se destacaram na premiação:

Yellow Tail, um case de sucesso mundial

Campanha de divulgação Yellow Tail, alinhada ao consumidor mais jovem

Alguém já imaginou uma marca australiana relativamente nova conquistar o disputado mercado de vinhos americano e se tornar tão grande a ponto de atender também Japão e Reino Unido? Pois bem, esta é a história de sucesso da Yellow Tail!

A marca foi fundada pela família Casella da Sicília, que emigrou para New South Wales, Austrália, em 1957. Yellow Tail foi lançado somente em 2001, com um posicionamento bastante inovador para o segmento. A marca optou por não competir diretamente com os vinhos da Itália e da França, muito mais consolidados em relação a qualidade, complexidade e prestígio no imaginário do consumidor. Em vez disso, apresentaram uma marca divertida, casual e acessível direcionada a outro perfil de público, acertando em cheio o consumidor americano.

O sucesso deve-se principalmente ao estilo do vinho, com taninos e acidez pouco perceptíveis, adequados a um paladar menos acostumado ao perfil tradicional da bebida. O rótulo com informações fáceis de entender, direcionados à uva e com poucos jargões do vinho, aliados a cores vibrantes e a um mascote simpático e divertido foram fatores decisivos para que a marca se destacasse nas prateleiras e ganhasse o coração dos consumidores jovens e ávidos por novidades.

Onde comprar?

  • Yellow Tail Shiraz (Viva Vinho, de R$ 89,90 por R$ 66,90) – Destaque da vinícola, é elaborado com a uva Shiraz, uma das mais importantes da Austrália. Destaca-se pelos aromas de frutas vermelhas e negras maduras com um toque de caramelo, desenvolvido pela breve passagem por carvalho francês e americano . Taninos bem macios no paladar, fácil de beber.

  • Yellow Tail Cabernet Sauvignon (Pão de Açúcar, R$ 69,99) – Elaborado com Cabernet Sauvignon, tem aromas de frutas maduras e notas de especiarias, graças aos 4 meses em barricas de carvalho francês e americano. Paladar com boa concentração, taninos macios e agradáveis.
  • Yellow Tail Chardonnay (Vinho BR, R$ 69,90) – Feito com a uva Chardonnay, muito presente na Austrália, destaca-se pelos aromas de frutas tropicais, com toque cítrico. Fácil de beber, tem corpo médio com acidez presente e um toque final cítrico de abacaxi.
  • Yellow Tail Moscato (Vinho BR, R$ 69,90) – Branco elaborado com a uva Moscatel, tem aromas de frutas tropicais com um agradável toque cítrico. Paladar de médio corpo com acidez bem integrada, vai bem com pratos leves e aperitivos.
  • Yellow Tail Pink Moscato Rosé (Viva Vinho, R$ 74,90) – Elaborado com a uva Moscatel, tem baixa graduação alcoólica, aromas adocicados que remetem a rosas e paladar refrescante, leve e equilibrado.
Mulled White Wine

Confira também as opções de drinks sugeridos com os rótulos Yellow Tail.

Receitas clicando no site da vinícola aqui.

Tintos para aquecer o final de semana

4inverno

Vinho é bom em qualquer ocasião e vai tão bem tanto à beira da piscina quanto em frente à lareira. Mas o fato é que determinados vinhos ficam melhores quando cai a temperatura, enquanto outros parecem feitos sob medida para os dias quentes.

Não é preciso se limitar aos tintos: é possível encontrar brancos, rosés, fortificados – e até espumantes – que combinam com o clima frio. Porém é preciso buscar elementos em comum: geralmente são opções mais encorpadas, alcoólicas, aromáticas e complexas.

Por outro lado, nosso paladar parece ficar mais voraz, ávido por alimentos mais calóricos, que ajudem nosso corpo a manter a temperatura, como cozidos, assados e molhos encorpados. Sopas cremosas, risotos, massas gratinadas, fondues, queijos e embutidos… Os pratos de inverno parecem feitos para acompanhar uma garrafa de vinho!

Pensando em todas estas delícias típicas da estação, e levando em consideração que os tintos são os vinhos mais procurados nesta temporada, selecionei opções deliciosas para acertar em cheio as harmonizações nestes dias de clima frio. Além destas opções, uma boa dica é procurar tintos feitos de Cabernet Sauvignon, Shiraz da Austrália,  Garnacha da Espanha, a Malbec na Argentina e a Tannat do Brasil e do Uruguai. Eles costumam ser encorpados e robustos. Confira a seleção a seguir:

cono-sur

  • Cono Sur Bicicleta Carménère (Chile, Ville Du Vin) – R$ 55,00 – Elaborado pela excelente Cono Sur, destaca-se pelos aroma de frutas vermelhas e notas herbáceas, típicas da uva Carménère. Amadurece 9 meses em barricas de carvalho, o que confere mais corpo e estrutura. Vai bem com cozidos e guisados de carne.

 

aves-del-sur

  • Aves Del Sur Cabernet Sauvignon Reserva (Chile, Pão de Açúcar) – R$ 39,90 – A interessante linha Aves del Sur é feita pela Carta Vieja, no Chile, e distribuída com exclusividade pelo Pão de Açúcar. Um belo achado de supermercado, com destaque para o Cabernet Sauvignon, com aromas de fruta vermelha madura e notas de café e chocolate. Uma boa pedida para os pratos mais intensos de inverno.

 

callia-alta

  • Callia Alta Shiraz Bonarda (Argentina, Baccos´s) – R$ 57,60 – Feito com 70% Shiraz e 30% Bonarda, este tinto está sempre na lista dos bons e baratos do mercado. No nariz, tem aromas intensos de frutas vermelhas maduras, especiarias e toques defumados. Combina bem com carnes grelhadas, massas e queijos de pasta mole

 

clos-torribas

  • Clos de Torribas Crianza (Espanha, Pão de Açúcar) – R$ 44,90 – Mais um achado das grandes redes, este corte de Tempranillo e Cabernet Sauvignon tem acidez na medida, taninos suaves e bom final de boca. Fica perfeito com tábua de queijos e embutidos.

 

aurora-reserva

  • Aurora Tannat Reserva (Brasil, Pão de Açúcar) – R$ 40,25 – A Tannat é uma uva bastante tânica e rende vinhos bem estruturados. Típica do Uruguai, ela também se destaca por aqui, e este exemplar é uma boa opção para conhecer esta famosa uva. Amadurece 10 meses em barrica de carvalho, o que confere taninos mais macios ao vinho. Os aromas remetem à frutas negras maduras, especiarias e grãos de café tostados. Acompanha bem costelas bovinas e queijos maturados.

Vinho | Callia Alta Shiraz/Cabernet Sauvignon

Vinho_06
  • Callia Alta Shiraz/Cabernet Sauvignon, Argentina (Imp. Zahil, R$ 34,00)

A argentina Bodegas Callia, vinícola-irmã da famosa Bodegas Salentein, já é uma velha conhecida do consumidor brasileiro. Vinhos fáceis, redondos, frutados e de excelente relação custo-benefício, é presença obrigatória em listas de boas compras nesta faixa de preço.

A vinícola está localizada em San Juan, ao norte de Mendoza, e tem como prioridade a elaboração de vinhos jovens e agradáveis, de custo acessível e sem abrir māo de qualidade. Em San Juan, a Shiraz se adaptou particularmente bem ao solo da região e combinado com a tão conhecida Cabernet Sauvignon resultou em um vinho com ótima estrutura, mas redondo e fácil para beber. Combinar variedade é uma receita dos produtores para encaixar características complementares, neste caso unindo o frescor dos notas vegetais da Cabernet e seus taninos firmes à maciez e fruta madura da Shiraz.

Uma bela compra, que fica ainda melhor acompanhando pratos à base de carnes, em preparações simples do dia a dia mesmo. Sem frescura!

Bruschettas + vinho

A parceria bruschetta e vinho é certeza de sucesso! Este típico antepasto italiano feito com pão levemente tostado, azeite, alho e cobertura variada é versátil e perfeito para receber os amigos. Encontrei novamente no site vamos receber três receitas de bruschettas deliciosas: de tomate com manjericão, de shitake com queijo brie e de abobrinha com queijo de cabra e mel. Aproveite para preparar estas receitas super fáceis no final de semana, harmonizadas com uma das sugestões indicadas por aqui! 😉

Bruschetta de Tomate com manjericão

bruschetta tomate

Modo de Preparo (1 tomate para cada fatia de pão):

1. Corte o pão italiano em fatias. Mais ou menos na grossura de um dedo.

2. Corte os tomates em 4 partes.

3. Com o dedo, retire a semente.

4. Corte os tomates em cubos.

5. Pique os tomates

6. Em uma panela, aqueça o azeite levemente. Refogue o alho e depois os tomates, por aproximadamente 2 minutos. Não pode deixar o tomate virar molho. Esse passo evita que o tomate caia do pão no momento de servir.

7. Coloque um pouco de azeite no pão.

8. Adicione o tomate, o manjericão e um pouco de sal. Leve ao forno pré-aquecido a 10 minutos a 180 graus e deixe por 5 minutos (tempo do pão dourar).

 

Bruschetta de Shitake com Queijo Brie

bruschetta shitake

 Modo de Preparo (a quantidade sugerida serve 4 pessoas): 

1. Corte o pão italiano em fatias. Mais ou menos na grossura de um dedo.

2. Retire o talo do Shitake.

3. Em uma frigideira, aqueça levemente o azeite.

4. Adicione o Shitake e doure-o dos dois lados.

5. Coloque um pouco de azeite no pão.

6. Adicione o shitake e, depois, o queijo brie. Leve ao forno pré-aquecido a 10 minutos a 180 graus e deixe por 5 minutos (tempo de derreter o queijo e o pão dourar).

 

Bruschetta de Abobrinha com queijo de cabra

bruschetta abobrinha

Modo de Preparo  (a quantidade sugerida serve 4 pessoas): : 

1. Corte o pão italiano em fatias. Mais ou menos na grossura de um dedo.

2. Corte a abobrinha em fatias.

3. Em uma frigideira, aqueça levemente o azeite.

4. Adicione a abobrinha e doure-a dos dois lados.

5. Coloque um pouco de azeite no pão.

6. Adicione a abobrinha.

7. Amasse levemente o queijo de cabra e coloque-o no pão.

8. Adicione o mel. Leve ao forno pré-aquecido a 10 minutos a 180 graus e deixe por 5 minutos (tempo de derreter o queijo e o pão dourar).

 

Gostou? Escolha então um destes vinhos fáceis para acompanhar:

  • MontadoMontado Branco, Portugal (Sup. Extra, R$ 30,35): Elaborado pelo produtor José Maria da Fonseca com as curiosas uvas Alva, Tamarez, Rabo de ovelha na região do Alentejo, é bem leve e com boa acidez, um coringa para acompanhar comidinhas variadas.

 

  • De Martino ChardonnayDe Martino Chardonnay Estate Reserva (Imp. Decanter, R$ 45,10): Para os apreciadores de Chardonnay, este da De Martino é bem equilibrado, com aromas agradáveis de maçã e leve toque amanteigado. Ideal com aperitivos a base de queijos.

 

  • Las Moras Shiraz RoséLas Moras Shiraz Rosé (Imp. Decanter, R$ 33,10): Rosé elaborado na argentina com a uva Shiraz, tem aromas delicados de morangos frescos, floral e de especiarias. De bom corpo, vibrante e equilibrado. Sempre uma boa opção para abrir em dias mais quentes e com aperitivos leves.

 

  • Santa CristinaSanta Cristina Toscana IGT, Itália (Sup. Extra, R$ 48,20): Tinto elaborado na Toscana com 60% Sangiovese e 40% entre Cabernet Sauvignon, Merlot e Syrah, passa por um breve amadurecimento em barricas de carvalho para conferir um pouco mais de estrutura. Um dos italianos mais vendidos por aqui.

 

  • Arrogant FrogArrogant Frog Tutti Frutti Rouge, França (Imp. Decanter, R$ 51,90): Tinto francês de grande aceitação no mercado brasileiro, vai na contramão do que se imagina de vinho francês: fácil, frutado e acessível, é elaborado com as uvas Cabernet Franc, Cabernet Sauvignon, Grenache, Merlot, Mourvèdre e Syrah. Ufa! A miscelânea funciona bem e também é sucesso para acompanhar finger foods.

 

 

 

 

 

Garrafas que valem por um presente

O Dia das Mães se aproxima e vinho é sempre uma boa pedida para presentar aquelas que merecem todos os mimos nesta data especial. Confira uma seleção de rótulos que além de deliciosos, vem em garrafas pra lá de charmosas para presentear!

LA Sauvignon Blanc

L.A Jovem Sauvignon Blanc, Brasil (Luiz Argenta, R$ 53,00)  Elaborado pela vinícola brasileira Luiz Argenta na bela região de Flores da Cunha, este Sauvignon Blanc é fresco e elegante, com aromas de frutas tropicais, como o maracujá. Acompanha bem carpaccio, queijos de cabra, peixes com molhos cítricos e culinária japonesa.

LA_Shiraz

L.A. Jovem Shiraz, Brasil (Luiz Argenta, R$ 53,00) Também feito pelo produtor boutique Luiz Argenta, este tinto é elaborado com a uva Shiraz e se destaca pelo equilíbrio, com acidez e taninos bem balanceados e aromas que remetem a cereja madura e especiarias. Fica ainda melhor com risotos leves e pratos pouco condimentados.

VF Rosé

Villa Francioni Rosé, Brasil (Top Wine Brasil, R$ 52,90) Vinho rosé elaborado pela Villa Francioni, na fria São Joaquim, em Santa Catarina. A vinícola foi idealizada em 2000 com o intuito de produzir vinhos de alta qualidade, em uma região ainda pouco explorada. Este delicado rosé é um dos destaques do produtor, resultado do inusitado corte das uvas Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Sangiovese, Syrah, Petit Verdot, Pinot Noir, Merlot e Malbec. Aroma agradável de frutas e flores, lembrando romãs, e leve toque cítrico. Na boca é leve e delicado, com acidez que traz frescor e prepara o paladar.