Para não errar nos queijos e vinhos

cheesewine_01A relação entre queijos e vinhos é uma das mais saborosas na gastronomia e é por isso que combiná-los é sempre um momento especial. Os dois elementos variam de acordo com o terroir onde são produzidos, o que abre um universo de possibilidades de harmonizações. Mas por onde começar?

O primeiro passo é agrupar os queijos por afinidade de sabor, o que facilita bastante a escolha dos vinhos. Os queijos mais comuns são os tipos frescos (derivados do leite de cabra), os queijos de casca branca (como Brie e Camembert), os queijos duros (Parmesão e Grana Padano) e os deliciosos queijos azuis, de sabor acentuado (Gorgonzola e Roquefort).

Para facilitar, confira aqui três combinações saborosas de queijos e vinhos para escolher e preparar no próximo encontro entre amigos nestes dias frios de inverno:

sophenia

Queijos Frescos

Os queijos frescos se caracterizam pela suavidade e grande concentração de acidez. Neste grupo estão, por exemplo, os queijos de cabra, a ricota e o feta, queijos leves e ideais para acompanhar os frescos brancos feitos com a Sauvignon Blanc, como este interessante Sophenia 2 Torrontés/Sauvignon Blanc. Elaborado na Argentina pela Finca Sophenia, tem também a aromática uva Torrontés em sua composição. Fresco e equilibrado, fica perfeito com queijos leves em dias mais quentes:

  • Sophenia 2 Torrontes Sauvignon Blanc (Via Vini, R$ 50,00)

 

primitivo

Queijos Duros

Os queijos curados, típicos da gastronomia italiana, são companheiros inseparáveis das nossas deliciosas macarronadas de domingo. De maturação mais acentuada e textura granulada, como o Parmesão e o Grana Padano, ficam ainda melhores com tintos mais encorpados. O Vivi Primitivo é um tinto italiano de médio corpo, com aromas e sabores frutados e breve passagem por barricas, o que confere um certo toque tostado ao vinho.

 

tabali

Queijos Azuis

De produção mais elaborada, os queijos azuis têm textura úmida, um leve sabor amargo e alto teor de sal – características que podem conflitar com os taninos dos tintos. A clássica parceria com queijos azuis, entre eles o Roquefort e o Gorgonzola, é contrapor o salgado com vinhos doces, como os de colheita tardia. O delicioso Tabalí Late Harvest 2011 (375ml) tem agradáveis aromas de mel e frutas brancas maduras e sua doçura intensa faz o contraste ideal de sabores.

  • Tabalí Late Harvest Muscat 2011 (375ml) (World Wine, R$ 35,00)

 

Itália para menores de 50

Itália reveza com a França o título de maior exportador de vinhos do mundo. De norte a sul do país, é possível encontrar uma impressionante quantidade de rótulos de boa qualidade, dos mais variados estilos e elaborados com uvas muito características, dificilmente encontradas em outros países.

As regiões vinícolas de maior prestígio são o Piemonte e a Toscana, porém, estas são responsáveis por apenas 10% de todo vinho produzido no país, dando espaço a gratas surpresas de outras regiões. Lugares como Sicília, Úmbria e Campânia guardam descobertas interessantes e já produzem vinhos de alta qualidade, com reconhecimento mundial e destaque nas mais importantes publicações do setor.

 Os vinhos do sul da Itália destacam-se neste cenário. Com clima quente e terrenos únicos, são incrivelmente saborosos, exuberantes e perfeitos para acompanhar comida. Confira três deliciosas sugestões:

Feudi di San Marzano Primitivo Puglia IGT

A Feudi di San Marzano encontra-se na região de Salento, na Puglia. Este tinto elaborado com a uva Primitivo tem intensos aromas de frutas vermelhas, como ameixa e cereja, notas herbáceas e agradáveis toques de baunilha. Com boa estrutura, é ótimo para acompanhar carnes vermelhas grelhadas, assadas e queijos de média maturação.

Masseria Trajone Nero d’Ávola

A uva Nero d’Avola é uma da grandes descobertas da Sicilia, originando vinhos saborosos, cheios de fruta e perfeitos para acompanhar comida. Este, elaborado pela Masseria Trajone, é um verdadeiro achado, de excelente relação qualidade/preço. Experimente com carnes grelhadas, carnes de caça, risoto de funghi e ossobuco.

Boccantino Montepulciano D´Abruzzo
 
Este rótulo é uma boa e acessível amostra dos cada vez mais comentados vinhos Montepulciano D’Abruzzo. Elaborado com a uva Montepulciano, apresenta aromas discretos de ameixas e cerejas e uma acidez agradável, ideal  para acompanhar pratos mais simples. Experimente com aquela pizza de domingo ou dividindo uma tábua de queijos com os amigos.

ONDE COMPRAR:

 Você encontra no Imigrantes Bebidas, wine.com, Pão de Açúcar, principais supermercados e lojas especializadas 

Vinho do fim do mundo

A vocação da Argentina para produzir vinhos de qualidade percorre quase toda a extensão do país. Mendoza ainda é o grande pólo produtor, mas há grandes vinícolas em regiões como Salta, San Juan e Patagônia. Esta última, localizada no extremo sul da argentina, é lembrada sempre por Bariloche e suas estações de esqui, mas vêm se destacando também pelos seus elegantes e saborosos vinhos, principalmente com as uvas Malbec e Pinot Noir.

Há quem diga que, devido à sua  localização, a Patagônia seja “o fim do mundo”. Se for assim, podemos considerar que reservaram o melhor para o final. A região, com baixas temperaturas e a Cordilheira dos Andes ao seu redor, tem como destaque o rio Negro e a província de Neuquén, de onde saem vinhos muito interessantes, que vale a pena conhecer:

Ventus

A Bodega del Fin del Mundo foi a primeira vinícola da província de Neuquén. Este tinto é elaborado com as uvas Merlot, Malbec e Cabernet Sauvignon. Muito equilibrado, macio, com agradáveis aromas de frutas negras, como amoras e framboesas,  é ideal para o dia-a-dia, acompanhando refeições simples, carnes leves, massas e pizzas.

Caitec Pinot Noir

A bodega Caitec é um dos mais modernos e recentes projetos vinícolas da Argentina. O clima frio da Patagônia, a seleção cuidadosa das uvas e a colheita manual nos vinhedos garantem condições ideais para que a Pinot Noir revele sua tipicidade. Este vinho é uma excelente opção para os amantes desta elegante uva e que, com razão, reclamam da ausência de Pinots honestos no mercado. Com aromas de frutas vermelhas e toques de  especiarias, acompanha bem massas com molhos à base de funghi, carnes assadas,  carnes de caça, como perdiz e codorna e queijos de média maturação.

ONDE COMPRAR:

Worldwine, Imigrantes Bebidas, Wine.com e principais supermercados