Dicas para o pai (e para o filho também!)

Ray-Beckwith-with-Max-Schubert1
photo credit: Milton Worldley

O dia dos pais está chegando, já escolheu o que comprar para o seu? Uma garrafa de vinho é sempre uma ótima pedida, agrada desde os mais exigentes até aqueles que escolhem a bebida somente em ocasiões especiais (como esta!).

E entre tantas opções, de tantas origens e estilos diferentes, como escolher aquela que vai acertar em cheio o gosto dele? Pensando nisto, fugi um pouco das opções mais tradicionais e pincelei acessórios versáteis e vinhos com apelo mais divertido, mas não menos interessantes.

Agora basta escolher com carinho, escrever um belo cartão, e pronto! Tenho certeza que vai adorar o presente!

 

  • Caderno notas de vinho (imaginarium, R$ 14,90): Presente legal para iniciantes e iniciados. As páginas são feitas especialmente para você anotar o nome do vinho, o ano da safra, o tipo de uva, produtor, preço, país/região, entre outras informações relevantes para consultas futuras. Com este caderno de vinho, toda garrafa vazia vai entrar para a história!

 

images.livrariasaraiva.com.br

  • Atlas Mundial do Vinho – 7ª Ed. 2014 (Saraiva, de R$99,90 por R$ 69,30): Super oportunidade de presentear com um belo livro a um peço especial. Publicado pela primeira vez em 1971, O “Atlas Mundial do Vinho” se tornou um livro de referência por apresentar um panorama completo sobre os territórios de cultivo, características das uvas e métodos de produção da bebida ao redor do mundo. O livro chega à sua 7ª edição com novos mapas exclusivos e textos inéditos, obra dos mestres Hugh Johnson e Jancis Robinson, que mais uma vez uniram forças para criar um livro completo, que nenhum apreciador de vinho pode deixar de ter!
  • vinho_portugues_bigode_1Vinho Bigode (Empório Viseu, R$ 32,90): Para o bigodão que você respeita, um tinto português bom, barato e fácil de agradar. Feito pela DFJ vinhos, é elaborado com as uvas típicas de lá, como Tinta Roriz, Alicante Bouschet, Castelão e Touriga Nacional. Boa fruta tanto nos aromas quanto no paladar, tem taninos macios e boa acidez, ideal para petiscos em família.

 

Quer investir um pouco mais?01_Macho Man Monastrell

  • Macho Man Monastrell (Mundo Vino Brasil, R$ 139,00) – Tinto espanhol feito com a uva Monastrell, em Jumilla, em uma proposta super irreverente. No nariz é fresco, com destaque para frutas vermelhas  e notas tostadas. Na boca tem certa estrutura, mas com taninos macios e final redondo. Boa persistência no paladar.

 

 

Anúncios

Tintos para aquecer o final de semana

4inverno

Vinho é bom em qualquer ocasião e vai tão bem tanto à beira da piscina quanto em frente à lareira. Mas o fato é que determinados vinhos ficam melhores quando cai a temperatura, enquanto outros parecem feitos sob medida para os dias quentes.

Não é preciso se limitar aos tintos: é possível encontrar brancos, rosés, fortificados – e até espumantes – que combinam com o clima frio. Porém é preciso buscar elementos em comum: geralmente são opções mais encorpadas, alcoólicas, aromáticas e complexas.

Por outro lado, nosso paladar parece ficar mais voraz, ávido por alimentos mais calóricos, que ajudem nosso corpo a manter a temperatura, como cozidos, assados e molhos encorpados. Sopas cremosas, risotos, massas gratinadas, fondues, queijos e embutidos… Os pratos de inverno parecem feitos para acompanhar uma garrafa de vinho!

Pensando em todas estas delícias típicas da estação, e levando em consideração que os tintos são os vinhos mais procurados nesta temporada, selecionei opções deliciosas para acertar em cheio as harmonizações nestes dias de clima frio. Além destas opções, uma boa dica é procurar tintos feitos de Cabernet Sauvignon, Shiraz da Austrália,  Garnacha da Espanha, a Malbec na Argentina e a Tannat do Brasil e do Uruguai. Eles costumam ser encorpados e robustos. Confira a seleção a seguir:

cono-sur

  • Cono Sur Bicicleta Carménère (Chile, Ville Du Vin) – R$ 55,00 – Elaborado pela excelente Cono Sur, destaca-se pelos aroma de frutas vermelhas e notas herbáceas, típicas da uva Carménère. Amadurece 9 meses em barricas de carvalho, o que confere mais corpo e estrutura. Vai bem com cozidos e guisados de carne.

 

aves-del-sur

  • Aves Del Sur Cabernet Sauvignon Reserva (Chile, Pão de Açúcar) – R$ 39,90 – A interessante linha Aves del Sur é feita pela Carta Vieja, no Chile, e distribuída com exclusividade pelo Pão de Açúcar. Um belo achado de supermercado, com destaque para o Cabernet Sauvignon, com aromas de fruta vermelha madura e notas de café e chocolate. Uma boa pedida para os pratos mais intensos de inverno.

 

callia-alta

  • Callia Alta Shiraz Bonarda (Argentina, Baccos´s) – R$ 57,60 – Feito com 70% Shiraz e 30% Bonarda, este tinto está sempre na lista dos bons e baratos do mercado. No nariz, tem aromas intensos de frutas vermelhas maduras, especiarias e toques defumados. Combina bem com carnes grelhadas, massas e queijos de pasta mole

 

clos-torribas

  • Clos de Torribas Crianza (Espanha, Pão de Açúcar) – R$ 44,90 – Mais um achado das grandes redes, este corte de Tempranillo e Cabernet Sauvignon tem acidez na medida, taninos suaves e bom final de boca. Fica perfeito com tábua de queijos e embutidos.

 

aurora-reserva

  • Aurora Tannat Reserva (Brasil, Pão de Açúcar) – R$ 40,25 – A Tannat é uma uva bastante tânica e rende vinhos bem estruturados. Típica do Uruguai, ela também se destaca por aqui, e este exemplar é uma boa opção para conhecer esta famosa uva. Amadurece 10 meses em barrica de carvalho, o que confere taninos mais macios ao vinho. Os aromas remetem à frutas negras maduras, especiarias e grãos de café tostados. Acompanha bem costelas bovinas e queijos maturados.

Vinho 365 | #98 – Real Compañia Macabeo

Imagem1

  • Real Compañia Macabeo, Espanha (Wine Brasil, R$ 47,00)

A Real Compañia de Vinos é gerida pela família Murua. Sua história no negócio do vinho remonta o ano de 1926, quando José Villaverde Murua iniciou a produção de vinho em Rioja. A fundação da Real Compania é mais recente, e seus vinhos mostram o estilo moderno espanhol, fresco e frutado. A vinícola é dirigida com a filosofia de unir as tradições vitivinícolas de longa data e novas tecnologias fazendo com que seus vinhos expressem as melhores qualidades das uvas cultivadas na região de La Mancha, parte central da Espanha. Seus vinhos são produzidos a partir de uvas colhidas de vinhas de 30 a 70 anos de idade, cultivadas em solos pedregosos ricos em calcário vermelho, que vai conferir estrutura nos vinhos.

Eu gosto muito deste branco espanhol, a começar pelo rótulo que traduz bem este lado moderno da vinícola. A uva Macabeo, geralmente utilizada na composição dos cavas, é uma uva muito interessante também para brancos frescos e aromáticos. Os dias quentes e as noites frias em La mancha fazem muito bem para esta uva, capaz de produzir vinhos muito refrescantes, vivos e delicados, ideais para acompanhar pratos de entrada. Com aroma de frutas cítricas como limão, um pouco de manga e notas de flores brancas. Na boca é um vinho de médio corpo, elegante e com boa acidez.

Vinho muito amigável com comida, acompanha muito bem massas com molho branco e saladas frescas. Vai muito bem com toda a rica gastronomia do mar. Recomendo, principalmente para sair da mesmice dos vinhos feitos a base de Chardonnay e Sauvignon Blanc.

Vinho 365 | #37 – Amalia Garnacha

A Espanha está surpreendendo no que se refere a vinhos de bom custo-benefício, principalmente os elaborados nas regiões menos conhecidas, e que não são poucas já que as referências ainda são Ribeira del Duero e Rioja. Este aqui é uma grata surpresa de Zaragoza, ao norte do país. Feito com a uva Garnacha, típica desta região, destaca-se pelo equilíbrio e pela maciez no paladar, que abre o apetite e pede sempre o próximo gole.

Vinho de coloração intensa, tem aromas de frutas vermelhas maduras, amora, violeta e ligeiro balsâmico. Médio de corpo, fresco, taninos macios, um tinto de fácil apreciação, de valor excepcional. Fica ainda melhor com rosbife, steak tartare e pratos mais informais do dia-a-dia, como antepastos variados, bruschettas, pizzas e massas ao sugo. Perfeito para receber os amigos.

Vinho 365 | #34 – PradoRey Verdejo Sauvignon Blanc

O Real Sitio de Ventosilla pertenceu à família real espanhola por muitos anos, quando acolhia os reis ibéricos para a caça ou simples repouso. Com 3.000 hectares totais e 520 de vinhedos na mais nobre região vinícola do país, a Ribera del Duero, dá vida aos soberbos vinhos PradoRey.

As características climáticas continentais da área, aliadas aos pobres solos calcários, conferem às uvas um incrível equilíbrio de fruta-frescor-tanicidade e uma concentração de sabores fabulosa. A vinícola realmente se empenha em entregar vinhos surpreendentes e característicos, em todas as faixas de preço.

Exemplo disso é o Pradorey Verdejo-Sauvignon Blanc da linha de entrada, a Classic. Elaborado na região de Rueda com 50% Verdejo e 50% Sauvignon Blanc, tem coloração dourada delicada e cristalina. No nariz destaca-se pelos aromas de fruta cítrica e tropical, anis e ervas frescas. No paladar é equilibrado, com a acidez a trazer graça e agradável persistência. Perfeito para aperitivar com mariscos, arroz com polvo, tapas diversas e peixes brancos assados com ervas. Uma delícia!

Vinho 365 | #20 – Legado Muñoz Garnacha

Difícil não se surpreender com este tinto espanhol. Degustei este vinho sem saber o seu preço e foi uma surpresa daquelas descobrir o seu valor, muito inferior ao que ele entrega na taça. Aliás, a Espanha é atualmente um dos melhores destinos de quem busca vinhos de bom custo benefício, para o dia-a-dia, sem compromisso.

Este produtor maneja atualmente 380 hectares na denominación de origen La Mancha, um planalto entre as províncias de Toledo, Albacete, Ciudad Real e Cuenca, região produtora considerada a mais extensa da Espanha (e do mundo!). Muñoz é a grande descoberta da região, e a sua linha Artero, a marca de vinho espanhol de maior sucesso no Brasil.

Elaborado com 100% de Garnacha, estagia por 3 meses em barricas novas de carvalho americano. No nariz tem aromas agradáveis de frutas negras, como groselhas confitadas, além de toques de baunilha, coco tostado e especiarias. Ampla expressão em boca, taninos polidos e equilibrado frescor. Acompanha bem carne de porco assada e grelhada; Presunto cru ibérico. Delícia!

 

Vinho 365 | # 5 – Marqués de Aldaz Blanco

Vinho_05

  • Marqués de Aldaz Blanco, Espanha (Imp. Vinci, R$ 37,04)

Vinho elaborado com 85% de Viura, 10% Chardonnay e 5% Moscatel pela respeitada bodega Vega Del Castillo que mostra porque a região de Navarra, vizinha de Rioja, é famosa por originar algumas das maiores pechinchas da Espanha. Vinho branco moderno, elaborado em um estilo limpo e fresco, com delicados aromas de flores e frutas. Um vinho de impressionante relação qualidade/preço, é uma ótima escolha como aperitivo ou mesmo para acompanhar peixes mais leves.