Cono Sur, uma das vinícolas mais admiradas do mundo

cono-sur-bicicleta

A Cono Sur foi eleita a segunda marca de vinhos mais admirada da América do Sul

A chilena  Cono Sur foi eleita novamente a segunda vinícola mais admirada da América do Sul pela revista britânica Drinks International, reconhecida pelo seu prestigioso ranking que destaca as marcas de vinhos mais valorizadas do mundo. Mais de 200 profissionais do vinho selecionaram a vinícol, destacando a qualidade de seus vinhos e seu posicionamento premium e inovador.

Tamanho recomencimento é mais do que merecido. Fundada em 1993 e com vinhedos plantados em diversas regiões do Chile, foi pioneira na viticultura sustentável e uma das primeiras a levar a Pinot Noir a sério.

Partindo da linha de entrada Bicicleta, Cono Sur é uma das fontes mais confiáveis de vinhos bons e baratos no Chile. Merece destaque também a linha Reserva Especial, composta por vinhos elaborados com uvas que representam o melhor de cada região chilena, a exemplo dos Sauvignon Blanc e Pinot Noir do Vale de Casablanca e do Carmenére do Vale de Cachapoal.

Segundo o produtor, a bicileta estampada no rótulo simboliza “o espírito e o esforço dos trabalhadores da bodega, que utilizam a bicicleta para se deslocarem pelos vinhedos, atentos a cada detalhe da plantação”. Além disso, reforça o conceito de preocupação com o meio ambiente.

Ainda não conhece a Cono Sur? Confira uma seleção de boas opções e onde encontrá-las:

CS Bicicleta Gewurztraminer

  • Cono Sur Bicicleta Gewurztraminer: Elaborado na fria região do Vale de Bío-Bío com a uva Gewürztraminer, tem aromas bem agradáveis de frutas frescas, flores e um toque de lichia. Na boca é expressivo, fresco e saboroso, ideal para acompanhar comidas agridoces, culinária chinesa e indiana.

CS Bicicleta Cabernet

  • Cono Sur Bicicleta Cabernet SauvignonBem elaborado, tem aromas de frutas pretas, como ameixa e framboesa, e um toque doce de especiarias. Elegante, ideal para carnes vermelhas e queijos mais saborosos. 

CS Bicicleta Pinot

  • Cono Sur Bicicleta Pinot Noir: Um dos destaques da linha Bicileta, tem aromas muito agradáveis de frutas frescas, como framboesa e cereja, além de boa acidez e taninos finos no paladar. Nas palavras do produtor, sexy, puro e simples, é um Pinot jovem e refrescante. Bem versátil, acompanha super bem massas com molhos leves, mariscos, peixes suaves e culinária japonesa.

CS Res Sauv.Blanc

  • Cono Sur Reserva Especial Sauvignon Blanc: Fresco e delicado, tem aromas de maçã verde e pêssegos e ótima acidez no paladar. Servir bem fresco como aperitivo ou para acompanhar saladas, mariscos, sushi e entradas leves

CS Res. Pinot Noir

  • Cono Sur Reserva Especial Pinot Noir: Elaborado no Valle de Casablanca, melhor região para esta delicada uva, tem os aromas típicos de um Pinot bem elaborado: framboesas, cerejas e morangos, com notas de café e cacau. Mais intenso que o Bicicleta, é ideal com carnes brancas, embutidos e queijos mais saborosos. Além disso, o produtor aconselha servir a uma temperatira mais baixa para ressaltar o frescor, e recomenda também servir com pratos a base de Champignon. Vale cada centavo!

Onde encontrar:

Os vinhos são importados pela La Pastina e está disponível em lojas especializadas, empórios e supermercados:

 

 

Tintos leves para dias quentes

Illustration: Jenny Bowman

Verdade seja dita: com este calorão, dificilmente a primeira opção de bebida que vêm à mente é vinho. A cerveja e a caipirinha são opções incontestáveis em dias quentes – mesmo com tantas opções de brancos, rosés e espumantes leves e refrescantes. Curiosamente, o vinho tinto continua sendo o campeão da preferência nacional, independentemente da estação. O nosso paladar – orientado para uma culinária quente, rica em aromas e sabores, para o doce e encorpado – ajuda a explicar a popularidade dos tintos. Vale lembrar que Recife é atualmente um dos maiores mercados consumidores de uísque, mesmo com uma temperatura nada convidativa para este estilo de bebida. Assim, os tintos acabam sendo a escolha automática e a opção mais segura para acertar o paladar.
 Não dá para ignorar a preferência nacional pelos tintos. Mas vale deixar algumas dicas sobre como escolher as opções mais leves e refrescantes, indicadas para a gastronomia mais leve do verão. Estou falando de vinhos menos alcoólicos, mais frutados, ligeiros, com boa acidez e sem ou com breve passagem por madeira. 
 Para encontrar vinhos com essas características – que infelizmente não estão escritas no rótulo – o primeiro passo é identificar a uva e a região de produção. O Beaujolais, francês elaborado coma uva gamay, é uma boa pedida. É uma bebida leve, com boa acidez, poucos taninos no paladar e bastante aroma de frutas frescas.
 Também é possível encontrar vinhos tintos nacionais com a mesma uva, bem corretos e agradáveis.Os italianos feitos na Toscana com a clássica Sangiovese são conhecidos pela boa acidez e pelos aromas frutados, com um toque floral, bem delicados. Os tintos elaborados com a uva Pinot Noir também são escolhas seguras. Eles têm coloração mais clara e taninos sutis, mas que podem variar de estilo dependendo da região.
Os Pinot Noirs do Vale de Casablanca (Chile), os da Patagônia (Argentina) e os da Nova Zelândia não desapontam.Deixe de lado os tintos potentes, alcoólicos e amadeirados para experimentar opções mais leves, jovens e refrescantes. Abaixo vão algumas opções para você conhecer neste verão – e quem sabe continuar no resto do ano?

Beaujolais

  • Beaujolais Villages Château de Montmelas (Casa Santa Luzia, R$ 43,00): Boa opção para conhecer a uva Gamay, típica de Beaujolais. Aromas de frutas vermelhas frescas, boa acidez e delicado no paladar. Para ser servido bem fresco, entre 10-12°C.

Miolo

  • Miolo Gamay (Pão de Açúcar, R$ 36,27): Versão nacional dos Gamays de Beaujolais, segue o estilo de leveza e frescor. O preço é bem amigo.

La Vieille Ferme

  • La Vieille Ferme Rouge (World Wine, R$ 53,80): Tinto elaborado na região do Rhône (França), com as uvas Grenache Noir, Syrah, Carignan e Cinsault. Com breve passagem por madeira, tem aromas de frutas mais maduras e é bem macio no paladar.

Yealands

  • Yealands Way Pinot Noir (Extra, R$ 57,65): A Nova Zelândia destaca-se pelos seus tintos feitos com a uva Pinot Noir. Um rótulo que representa fielmente o estilo de vinhos do país.

Novas

  • Novas Gran Reserva Pinot Noir (Extra, R$ 58,70): É produzido pela vinícola Emiliana (Chile), no Valle de Casablanca, uma das melhores regiões para o cultivo da Pinot Noir. Tem aromas de cereja, framboesa e morango, com toques adocicados de cacau.

Vinhos que cabem no bolso

menu_178_outubro-235x300Boas matérias merecem ser compartilhadas, principalmente quando o tema refere-se a dicas de boas compras. Melhor ainda se estes achados forem vinhos até R$ 60,00, indicados por quem entende do assunto.  Folheando a revista Menu de Outubro li, reli e concordei com as observações da matéria “Vinhos que cabem no bolso”, escrito pela Suzana Barelli e Manuel Luz.

Como o artigo tem tudo a ver com o tema deste blog, recomendo sem medo a leitura. Destaco aqui alguns trechos e 5 rótulos (de uma seleção de 19) com preço máximo de R$ 65, todos provados às cegas pela equipe de sommeliers convidados da revista:

“A valorização do dólar frente ao real e o reajuste da ST, imposto que muda a incidência do ICMS no vinho, caíram como uma bomba em nosso mercado em setembro. O reajuste médio de 10% só não foi maior porque as vendas não andam nada boas.

Para responder a esta indagação, a Menu colocou um teto de R$ 65 e foi atrás de rótulos que, teoricamente, têm qualidade nessa faixa de preço. Vasculhamos nossos cadernos de degustação e perguntamos para as importadoras quais tintos, em seu portfólio, poderiam ser considerados bons custos-benefícios dentro desse valor estabelecido. A maioria das respostas indicava vinhos chilenos, argentinos ou portugueses, não por acaso os mais procurados pelos consumidores quando o assunto é preço, mas também uma bebida bem-feita, com qualidade”:

 

De Martino

Syrah Reserva 347 Vineyards 2011 – Maipo, Chile (Decanter, R$ 55,60): Uvas da região do Maipo dão origem a este tinto de cor rubi violácea da De Martino. No nariz, aromas de frutas vermelhas maduras na medida certa, um toque de goiaba, que revela sua origem, e especiarias. De corpo leve para mediano, tem taninos redondos, bem moldados, com leve toque de álcool a mais. Tem 13,5% de álcool.

 

Ilógico

Ilógico 2009 – Alentejo, Portugal (Viníssimo, R$ 40,37): O enólogo Antônio Saramago elabora este tinto com aragonês e syrah, com rápida passagem em barricas de carvalho (três meses). Tem cor rubi clara, de boa transparência. Seus aromas, mais maduros, trazem notas de envelhecimento, com pouca fruta, e chocolate amargo. Agradável no paladar, com taninos bem mesclados com seu corpo de média intensidade, e um toque mineral. Tem 13,5% de álcool.

 

gsm

GSM J.V.Fleury 2011 – Rhône, França (Ravin, R$ 65,00): Tinto da Vidal Fleury, considerada a vinícola mais antiga em atividade em Côte-Rôtie, desde 1781, é elaborado com 50% de garnacha, 30% de syrah e 20% de mourvèdre. Tem cor rubi de média intensidade, com aromas de frutas vermelhas, baunilha e algo herbáceo. No paladar, é marcado por seus taninos intensos, que encobrem sua acidez. Tem 13,5% de álcool.

 

Borsao

Borsao Selección 2012 – Campo de Borja, Espanha (World Wine, R$ 52,90): Antiga cooperativa transformada em vinícola em 2001, a Borsao elabora este tinto que já foi definido como bom exemplo de custo-benefício pelo crítico Robert Parker. Sua base é garnacha mesclada com tempranillo e cabernet sauvignon. Tem cor rubi violácea, com aromas de frutas escuras, como ameixas e amoras, e algo herbáceo. Tem corpo médio para encorpado, com taninos marcados e baixa acidez. Tem 14,5% de álcool.

 

haras

Haras de Pirque Carmenére Reserva 2011 – Maipo, Chile (Winebrands, R$ 51,00): De cor rubi violácea, tem um improvável aroma de vinho branco, com notas de goiaba branca, erva doce e especiarias. No paladar, corpo de média intensidade, com tanino secante, boa persistência e leve amargor final. Tem 14% de álcool.

 

Balance

Balance Pinotage Winemakers Selection 2011 – Western Cape, África do Sul (Qual Vinho, R$ 55,00): De cor rubi de média intensidade, o representante da África do Sul é elaborado apenas com a pinotage. Tem aromas frutados, com notas de cereja, e algo de ervas de provence. Leve e redondo no paladar, com taninos macios, baixa acidez e uma sensação de demi-sec na boca. Tem 14% de álcool.

As boas opções para o inverno

WinterWine-656x624

A estação mais fria do ano está aí! Momento mais do que perfeito para curtir o conforto de casa, em companhia de pessoas queridas e uma seleção de tintos deliciosos para regar estes encontros. Considerada por muitos como a estação dos vinhos, é no inverno que nos dedicamos mais para selecionar cuidadosamente aqueles mais encorpados.

Segue uma seleção de vinhos deliciosos para você escolher e servir nas noites frias do ano:

adobe-res

  • Adobe Reserva Syrah, Emiliana – Chile  (Imigrantes Bebidas, R$ 33,99): Este Elaborado no Chile pela Emiliana, considerada a maior vinícola orgânica do mundo, este Syrah é equilibrado, com taninos macios e aromas agradáveis de frutas vermelhas e notas de especiarias.

cabriz-res

  • Cabriz, Quinta de Cabriz – Portugal (Sonda, R$ 44,14): Vinho português já bem conhecido no mercado, é elaborado pela tradicional Quinta de Cabriz na região do Dão. Feito com a uva Touriga Nacional, tem aromas de frutas vermelhas frescas e paladar de médio corpo, com taninos estruturados porém macios.

callia-res

  • Callia Alta Malbec, Bodegas Callia – Argentina (Rei dos Whiskys, R$ 27,00): Um dos Malbecs de melhor custo benefício disponíveis no mercado. Elaborado pela Bodegas Callia em San Juan, na Argentina, apresenta aromas de frutas vermelhas e notas de especiarias doces. Paladar fresco e equilibrado.

la-beliere

  • La Belière Rouge 2011, Baron Philippe de Rothschild – França (Wine.com, R$ 45,00): Produzido pela família Rothschild, um dos maiores nomes da vinicultura no mundo. A uva Merlot, que predomina em sua composição, dá o tom aveludado, frutado e delicioso deste cativante Bordeaux, par perfeito com mignon grelhado.

rispollo

  • Talenti Rosso Toscano Rispollo, Talenti – Itália (Imp. Grand Cru, R$ 39,00):  Ótimo vinho italiano, feito na Toscana pelo produtor Talenti. Elaborado com as uvas Merlot, Cabernet Sauvignon e Petit Verdot, tem aromas frutados e toques de especiarias, como alcaçuz. Na boca tem acidez equilibrada e taninos macios, porém intensos e persistentes.

Já escolheu o vinho do Natal?

tintos-natal-1Fato: dezembro é um mês corrido. Ninguém tem tempo para nada,  mas todo mundo faz questão de passar o Natal com amigos e familiares ao redor de uma mesa saborosa. Procurando receitas típicas desta data para publicar aqui, encontrei no delicioso site Panelinha, o ótimo e-livro Receitas de Natal em PDF , disponível aqui para download (yéah!). São mais de 50 receitas, testadas e fotografadas, distribuídas em 7 opções de menu.

Depois de escolher as suas receitas preferidas, quais vinhos selecionar para este festival gastronômico, marcados por fartura e sabores variados? E se você quiser apenas celebrar a sua ceia sem complicações, abrindo garrafas de um mesmo vinho e sendo feliz?  Neste caso, vá de tintos leves, com bastante fruta e poucos taninos, que possam ser servidos mais frios nestes dias de calor implacável. Vinhos feitos com as uvas Gamay e Pinot Noir, por exemplo, são ótimas escolhas para esta situação.  Confira aqui uma seleção de vinhos que se encaixam neste perfil e não decepcionam:

Castillo di Molina Pinot Noir, Chile (Sup. Sonda, R$ 33,89)

Cefiro Casablanca Pinot Noir, Chile (Imigrantes bebidas, R$ 41,99)

Salton Gamay 2012, Brasil (Varanda Delivery, R$ 31,10)

As boas compras da Wine Enthusiast

A Wine Enthusiast, tradicional publicação americana de vinhos, divulgou nas últimas semanas sua tão esperada Top 100 Best Buys of 2012. A lista considera os melhores vinhos disponíveis no mercado americano de até US$ 15,00, valor bem interessante se convertermos para a nossa realidade.

Segundo os editores, este ranking é um dos mais diversificados e excitantes entre os já publicados, reforçando a incrível variedade de vinhos acessíveis e de alta qualidade disponíveis no mercado. Confira a relação completa aqui ou se preferir, vá direto nas boas opções disponíveis no Brasil:

BRANCOS:

  • Rapariga da Quinta Branco, Portugal (Wine Commerce, R$ 34,00)
  • Tons de Duorum Branco, Portugal (Menu Especial, R$ 35,90)
  • Rosemount Diamond Label Chardonnay, Austrália (Imp. Vinci, R$ 49,96)
  • Falcoaria Branco, Portugal (Imp. Grand Cru, R$ 59,00)
  • Peñalolen Sauvignon Blanc, Chile (Rei dos Whiskys, R$ 65,09)
  • Nimbus Single Vineyard Sauvignon Blanc, Chile (Vinhocracia, R$ 67,90)

TINTOS:

ESPUMANTE E ROSÉ:

Vinho, pizza e oi oi oi!

Um dos pratos mais simples e saborosos da gastronomia ficam ainda melhores se acompanhados com uma boa taça de vinho.  Melhor ainda se for na sexta-feira, assistindo o último capítulo da novela Avenida Brasil!  Foco total no suspense: deixe tudo devidamente preparado para devorar sua pizza favorita em largas mordidas e longos goles de tinto, enquanto finalmente descobre quem matou o Max!  Vamos às opções?

Marguerita: Sem dúvidas, umas das mais pedidas nas pizzarias de SP. De média estrutura, com sabores intensos do queijo e a boa acidez do molho de tomate, vai bem com vinhos brancos com boa acidez ou tintos mais leves, com pouca passagem por madeira. Entre os brancos, escolha os elaborados com as uvas Sauvignon Blanc ou Pinot Grigio e, caso prefira os tintos, opte pelos  italianos Bardolino e Chianti simples ou merlots do novo mundo.

Vinhos para acompanhar:

Calabresa: Pizza levemente picante e com bastante sabor, pede tintos mais encorpados. Aqui cabem os elaborados com as uvas Carmenére e Syrah, os portugueses do Alentejo ou os italianos de Montepulcianos d’Abruzzo, por exemplo.

Vinhos para acompanhar:

 

Listinha para o dia dos Pais!

O dia dos pais já chegou, ainda está na dúvida do que comprar para ele? Uma garrafa de vinho é sempre uma ótima escolha: agrada desde os mais exigentes até aqueles que escolhem a bebida somente em ocasiões especiais (como esta!).

E entre tantas opções, de tantas origens e estilos diferentes, como escolher aquela que vai acertar em cheio o gosto dele?

Confira aqui algumas dicas para facilitar a decisão: basta escolher com carinho, escrever um belo cartão, e pronto! Tenho certeza que vai adorar o presente!

 

Vinhos que todo pai adora:

1) Escudo Rojo, Chile (Santa Luzia, R$ 49,80): Excelente tinto chileno, feito pelo famoso produtor francês Baron Philippe de Rothschild. Elaborado com as uvas Cabernet Sauvignon, Carmenére, Syrah e Cabernet Franc, representa bem a riqueza do solo chileno com a tradição francesa na elaboração de vinhos.

2) Tegole Toscano IGT, Itália (Imp. Vinci, R$ 38,80): Tegole é um dos vinhos de melhor relação qualidade/preço da Toscana. Elaborado com a típica uva Sangiovese, agrada em cheio os pais mais tradicionais, que não dispensam um bom vinho italiano.

3) L’Orangerie de Carignan, França (Imp. World Wine, R$ 59,00): Localizado em Bordeaux, o Château Carignan elabora vinhos excepcionais, frutados, finos e aveludados, com tecnologia de Grands Crus e procedentes de um terroir que privilegia a uva Merlot. Ótima opção de bom custo benefício, para os amantes de vinho francês.

 

Acessórios para presentear:

4) Porta vinhos acorrentado (Imaginarium, R$ 69,90): Dando a impressão de que a garrafa está flutuando no ar, este porta vinhos usa o princípio do equilíbrio para segurar a garrafa. Para os papais que gostam de impressionar os convidados!

5) Vacu Vin Preto com duas rolhas (Imp. Expand, R$ 19,80): O Vacu Vin permite retirar o ar das garrafas abertas, que em contato com o vinho, acelera sua oxidação. Acessório bastante útil para os enófilos que não gostam de desperdício e querem apreciar até a última gota.

6) Pen Drive Rolha 4 GB (Imp. Expand, R$ 39,80): Agora é possível armazenar  informações e fotos de vinhos em um pen drive todo estilizado! Em formato de rolha, armazena até 4 gb e é perfeito para fazer bonito na reunião.

7) Kit acessórios de vinho – 4 Peças (Ricardo Eletro, R$ 52,90): Conjunto de acessórios com saca-rolhas, corta gotas, tampa para garrafa e termômetro, em um estojo de madeira ideal para presentear.

8) Corkcicle – deixe seu vinho sempre gelado! (Hypeness, R$ 44,00): Degustar um vinho é sempre um momento de prazer, só não é legal quando não está na temperatura certa. Pensando nisso, a Corkcicle desenvolveu este prático acessório. Feito de gel, só precisa ficar no congelador por 2 horinhas antes de colocá-lo na garrafa e pronto! Depois é só lavar e reutilizar quantas vezes quiser… Bom não?

9) Conjunto de 10 Label Off (Spicy, R$ 56,00): Este simpático kit de películas adesivas permite retirar os rótulos das garrafas sem danificá-los, ideal para guardar os bons vinhos além da memória…

Para fazer em casa: Papardelle + Carménère

A harmonização entre vinho e comida é uma das tarefas mais gostosas dentro do universo da gastronomia. Reunir a família e os amigos para beber e cozinhar é uma constante, porém a escolha do vinho ideal para acompanhar o momento nem sempre é fácil: a variedade de pratos costuma ser grande, assim como a preferência dos convidados.

Algumas regrinhas facilitam a decisão, mas a verdade é que só aprendemos a harmonizar na prática, testando os mais diversos ingredientes em um momento lúdido e de descontração. Pensando nisso, selecionei uma receita fácil e gostosa com uma sugestão de vinho para você preparar no final de semana e fazer bonito com os convidados!

Papardelle com alho poró, tomilho e pecorino:                                                      * receita fornecida pela La Pastina

  • Ingredientes:

– 320g de massa tipo pappardelle (sugestão: Divella)
– 3 alhos-porós
– 4 colheres (sopa) de azeite de oliva extra virgem
– 4 fatias de bacon cortado em tiras finas
– 2 dentes de alho amassados
– 3 colheres (sopa) de folhas de manjericão
– Sal e pimenta do reino a gosto
– 100 gm de queijo pecorino ralado
– alguns ramos de tomilho para decorar

  • Modo de preparo:

Leve ao fogo uma panela com 4 litros de água. Quando ferver, adicione 1 ½ colher (sopa) de sal e espere ferver novamente antes de colocar a massa para cozinhar. Corte em tiras finas o alho-poró. Numa frigideira, coloque o azeite e refogue rapidamente o alho e o bacon. Tempere com sal e pimenta e adicione o manjericão. Coloque a massa para cozinhar quando a água salgada estiver fervendo novamente. Assim que estiver cozida, escorra e misture ao molho. Decore com pecorino e ramos de tomilho. Sirva em seguida. (Serve 4 porções)

Por que este vinho?

O rótulo escolhido para acompanhar esta receita é o Castillo de Molina Carménère, vinho chileno do tradicional produtor Viña San Pedro. A massa, saborosa, destaca-se pelos aromas intensos de ervas e temperos, que casam perfeitamente com este tinto de médio corpo e taninos macios. No nariz é expressivo, com aromas de amoras, especiarias doces e notas herbáceas, típicas da Carménère

Onde comprar: Imigrantes bebidas, R$ 38,99

Na medida da sua vontade

As garrafas de vinho de tamanho reduzido estão ganhando mais espaço nas prateleiras dos supermercados e nas cartas de restaurantes. Muitas importadoras já estão de olho nesta tendência e começaram a trazer mais e melhores rótulos em garrafas de 187 ml e 375 ml – o suficiente para uma ou duas taças, respectivamente. Além de reduzir desperdício, as garrafas menores são uma ótima maneira de harmonizar mais tipos de vinhos com diferentes pratos ao longo da mesma refeição.

Vale lembrar apenas que o armazenamento de vinhos neste formato requer um cuidado especial. Por causa das medidas reduzidas da garrafa, o vinho tende a envelhecer mais rapidamente. Desse modo, as garrafas menores são mais adequadas para o consumo do dia a dia. Confira abaixo uma seleção de opções de bom custo-benefício e na medida certa para cada ocasião.

GARRAFAS BABY (187 ml)

  • Espumante Baby Chandon Brut Rosé, Brasil (Imigrantes Bebidas, R$ 21,49). Um clássico da Chandon em dose única, para não errar nas pequenas comemorações do dia a dia!
  • La Vieille Ferme Blanc, França (World Wine, R$ 15,00). Vinho conhecido em vários países pelo seu excelente custo-benefício, mostra toda a tipicidade dos brancos da região do Rhône: muito aromático, com boa acidez e ótima estrutura. A versão baby é uma graça, incrível para receber os amigos!
  • Tília Malbec/Syrah, Argentina (Vinci Vinhos, R$ 11,31) Combinando duas das grandes uvas tintas, este vinho é macio e saboroso, fácil de agradar. Tem mais opções disponíveis no site da importadora.
  • Leyda Reserva Pinot Noir, Chile (Grand Cru, R$ 14,00). Ótimo Pinot Noir chileno em versão mini, obra do competente produtor Vina Leyda. Aromas intensos de frutas vermelhas com um toque herbáceo, bem equilibrado.
  • Valdivieso Cabernet Sauvignon, Chile (Ravin, R$ 14,00). Boa opção para acompanhar carnes vermelhas e massas com molhos picantes, é elaborado no Chile pelo tradicional produtor Viña Valdivieso.

MEIAS GARRAFAS (375 ml)

  • Espumante Casa Valduga Brut, Brasil (Imigrantes Bebidas, R$ 29,99). Espumante elaborado com as uvas Chardonnay e Pinot Noir, é fresco, equilibrado, com aromas que lembram amêndoas e frutas tropicais.
  • Terra Andina Sauvignon Blanc, Chile (Vinci Vinhos, R$ 15,83). Ótimo branco do Chile, é elaborado com a uva Sauvignon Blanc pelo produtor Terra Andina. Fresco, leve e aromático, é ideal para acompanhar comida japonesa. Tem mais opções no site do importador.
  • Les Grands Bois Chantant, França (Grand Cru, R$ 23,00). Vinho francês da região de Bordeaux, é elaborado com Merlot, Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon e destaca-se pelos aromas de frutas maduras, couro e um toque mentolado. Tem também na versão baby (187ml).
  • Altos Las Hormigas Malbec, Argentina (Mistral, 23,34). Com aromas frutados e sabores intensos, mostra que a Malbec pode originar vinhos perfeitos para acompanhar comida. 
  • Esteva casa Ferreirinha, Portugal (Zahil, R$ 32,00). Vinho básico da Casa que é um ícone em Portugal, responsável pela produção do clássico Barca Velha. Elaborado com as uvas típicas do Douro, é rico em aromas de frutas maduras com toques florais.