Inspiração do dia: Decoração

7 Inventive DIY Wine Cork Crafts:
Fonte: Pinterest
Anúncios

Inspiração do dia: Henri Cartier-Bresson

 Aqui, duas de minhas fotos preferidas de Henri Cartier-Bresson, considerado um dos maiores fotógrafos do século XX e mestre da fotografia espontânea, estilo que influenciou gerações de fotógrafos que se seguiram.

Impossível ficar indiferente ao ar triunfante do menino carregando seus vinhos e a simplicidade dos amigos partilhando uma refeição à beira do rio. Pura delicadeza.

Boy With Bottles – Rue Mouffetard, Paris, 1954

 

Sunday on the banks of the River Marne, 1938

 

Para quem gosta de uma releitura, agora Bresson versão Lego. Sensacional!

 

 

Malbec World Day 2016: Celebremos um clássico!

https---img.evbuc.com-https%3A%2F%2Fcdn.evbuc.com%2Fimages%2F19529806%2F168650103313%2F1%2Foriginal.jpg

No dia 17/04 comemora-se o dia da Malbec, uva consagrada da Argentina que agrada – e muito – o paladar dos brasileiros. Repetindo uma notável campanha que teve início em 2011, a Wines of Argentina, órgão responsável pela divulgação dos vinhos do país, celebrou em grande estilo a uva que se tornou símbolo da viticultura no país, e que  promete alcance ainda maior neste ano!

Na sexta edição do Malbec World Day, e sob o conceito “Celebremos um clássico”, serão realizados mais de 70 eventos em 70 cidades de 54 países com o apoio do Ministério de Relações Exteriores e Culto da Nação. Para este sexto ano de festejo, a Wines of Argentina destaca o motivo pelo qual a Malbec se transformou em um clássico:

Um varietal clássico é aquele que se toma uma e outra vez, e através do qual se descobrem novas expressões do terroir e novas nuances de aromas e sabores. Um vinho clássico é aquele apreciado tanto por quem o experimenta pela primeira vez como por aqueles que o bebem assiduamente. Um clássico proporciona tanto prazer que nos convida a explorá-lo continuamente. Além disso, um clássico se transforma em um modelo. O Malbec transformou-se no paradigma do vinho argentino, é nossa cepa emblemática. Isto significa que, graças a ele, pudemos começar a aventura de descobrir o potencial de nossa indústria vitivinícola.

Malbec World Day em São Paulo

Malbec-01

A cada edição, um tema serve de inspiração para a elaboração das comemorações. Se em 2015, a magia do cinema foi premiada, agora, a contemporânea gastronomia de rua foi escolhida. São Paulo tem sua quarta versão do Malbec World Day e será realizada, no dia 28 próximo, em um novo endereço na cidade, o Vila Butantan – projeto inédito de espaço de convivência para compras, lazer e gastronomia.

Quatro categorias de Malbecs serão oferecidas pelas vinícolas: jovens, concentrados, blends de Malbec e seleções de brancos, rosados e espumantes. As chamadas wine talks, conversas rápidas de vinte minutos, também vão acontecer entre o público, enólogos e sommeliers. Uma seleção de food trucks participa do evento com sugestões que vão do burger até criações das cozinhas de várias nacionalidades, algumas em harmonia com os Malbec. Além disso, os DJs Gabriel Salvia e Dre Guazelli, que faz seu show agregando um sax, e atrações performáticas dão charme extra.

O ingresso custa R$ 150 e dá direito à degustação dos vinhos, sendo que R$ 40 são revertidos para o consumo nos food trucks.

Malbec World Day SP Vila Butanta
Rua Agostinho Cantu, 47
Dia 28 de abril / das 18h às 23h
R$ 150,00
Censura 18 anos. Serviço de valet no prédio ao lado

Onde comprar ingresso:

https://semhora.com.br/evento/malbec-world-day

https://www.ingresse.com/malbecworldday#comprar

 

 

Vinho 365 | #231 – Vivi Primitivo IGP

14_Vivi Primitivo

Tinto italiano bem agradável, fácil de encontrar no mercado. O Vivi, que significa “viver” em Italiano e celebra o Italian Lifestyle, é produzido pela Vinícola Ognissole, que mantém seus vinhedos nas Regiões de Campania e Puglia. A propriedade de 125 acres foi estabelecida em 2000 pelos fundadores da famosa Feudi di San Gregorio que, nas últimas décadas, protagonizou uma revolução na arte de fazer vinhos no Sul da Itália, local reconhecido por ter produtoras de alguns dos melhores vinhos da Península há mais de seis mil anos.

Elaborado com a uva Primitivo, típica da região, é bem conhecida aqui no mercado brasileiro. Também conhecida nos Estados Unidos como Zinfandel, os vinhos dessa variedade podem atingir níveis alcóolicos altos, mas quando bem elaborados podem ser equilibrados, com boa fruta, boa acidez e taninos bem redondos e macios. Por esta razão é uma das uvas preferidas por aqui, realmente fácil de agradar.

Na taça, apresenta aromas de frutas vermelhas maduras e um adocicado agradável que lembra chocolate. Sem passagem por barricas, preserva os aromas e a tipicidade naturais dessa uva. É um vinho muito fácil de beber e ideal para momentos informais. Experimente com queijos diversos e pratos de massa com molho de tomate, fica uma delícia.

Vinho 365 | #230 – Cuvée Jean-Paul Vaucluse Rouge

22-jean-paul

  • Cuvée Jean-Paul Vaucluse Rouge, França (Sonda Delivery, R$ 59,38)

Para quem gosta de tintos leves, frutados e fáceis de beber, o Cuveé Jean Paul é uma excelente descoberta. Elaborado na França, mais especificamente em Vaucluse, pelo produtor Paul Boutinot, segue o estilo moderno adotado por muitos produtores do sul do país. Feito com 80% de Grenache e 20% de Shiraz, uvas típicas da região, é descrito pelo produtor como um vinho tão fácil de agradar que você nem precisa pensar nele – mas caso o faça, vai encontrar um vinho surpreendentemente bom! Simpática descrição, que resume seu estilo e aproxima a França daqueles que temem seus vinhos, seja pelo preço ou pela solenidade de consumo, imposta por muitos rótulos tradicionais.

Quem se aventurar vai encontrar um tinto clássico do Rhône, com aromas agradáveis de cerejas maduras, muito fresco e macio no paladar. Acompanha bem pratos descomplicados, como carnes grelhadas, pizzas, queijos de média maturação e hambúrgueres. Tenho sempre na adega para receber os amigos!

Vinho 365 | #199 – Babor Carmenére Shiraz

19-babor

Boa descoberta do Chile, país que sempre surpreende por sair da mesmice e apresentar novidades interessantes aos consumidores, mesmo nesta faixa de preço. Este delicioso corte de Carmenére e Shiraz é elaborado pelo Odfjell Vineyards, que apesar de difícil pronúncia, faz vinhos fáceis de beber. A vinícola foi fundada há mais de 25 anos por um norueguês apaixonado pelo Chile, o armador Dan Odfjell. Gostou tanto das terras ensolaradas do Valle do Maipo e Maule que escolheu ali o terroir ideal para a produção de seus vinhos. Junto com um time respeitável de enólogos, entre eles o Paul Hobbs, da Califórnia e Arnaud Hereu, de Bordeaux, elaboram vinhos de qualidade constante e total respeito à natureza.

Devido a influência de sua principal atividade, todas as linhas da vinícola tem alguma referência a termos de navegação. Babor, por exemplo, é um termo náutico em espanhol para bombordo (esquerda), e reconhecida internacionalmente por uma lanterna vermelha.

Tinto de coloração intensa, tem aromas de frutas vermelhas maduras com um toque de menta e alcaçuz. Na boca, tem médio corpo, taninos firmes e agradáveis e final fresco, sendo ideal para acompanhar carnes grelhadas e assadas, antepastos variados e queijos de média maturação.

Vinho 365 | #120 – Norton Cosecha tardia

Foto

A Norton é uma das vinícolas argentinas mais conhecidas por aqui e elabora uma ampla gama de vinhos. Foi fundada em 1895 pelo inglês Edmund J. P. Norton, engenheiro responsável pela construção de ferrovias na Argentina, que se encantou por Mendoza. Uma informação que poucos sabem é que em 1989, Gernot Langes Swarovski, da família austríaca de cristais, comprou a propriedade e investiu em tecnologias e mão de obra local competente para tornar a Bodega Norton em uma das mais importantes vinícolas da Argentina.

Atualmente possuem cinco fincas, distribuídas em cinco importantes terroirs da região: Perdriel, La Colonia, Agrelo, Lunlunta e Medrano e os vinhos levam assinatura do experiente enólogo Jorge Riccitelli, nomeado enólogo do ano pela revista “Wine Enthusiast” em 2012.

Não é a primeira vez que falo da Norton por aqui e acho que este rótulo também merece destaque. Não é fácil encontrar vinho de colheita tardia bem feito, com acidez equilibrada e doçura na medida, e ainda abaixo dos R$ 50,00!

Elaborado com uvas Chardonnay colhidas tardiamente, e ricas em açúcar, este vinho doce natural possui aromas agradáveis de mel e frutas brancas maduras. Um vinho que, dependendo das escolhas, pode acompanhar uma refeição inteira. Experimente com queijos azuis, ou com uma salada de frutas fresquinhas, fica uma delícia.